Notas sobre o debate da Band

   Dilma Rousseff
   Começou nervorsa e foi se acalmando aos poucos. Muitas vezes, preferiu olhar para o candidato do que para as câmeras. Seu discurso foi menos técnico: falou da mulher, da necessidade de pagar bem os professores, das crianças, prometeu 6 milhões de cresches em seu governo (será mesmo tudo isso?), privilegiou as UPAs e a UPPs (sem citar Sergio Cabral), das escolas técnicas, dos 14 milhões de novos empregos com carteira assinada, e disse que seu compromosso é com a erradicação da miséria e da fome. Disse que teve o privilégio de coordenar os ministros de Lula.

   José Serra
   Saiu-se melhor do que a encomenda. Falou sobre tudo, mas apenas sobre o que quis. Deixou a impressão que vai governar para dar eficiência aos Correios, aos mutirões de cirurgia de varizes e apoio aos excepcionais. Foi – depois de Plinio – o mais tranquilo de todos os presidenciáveis. Atrapalhou-se ao falar do programa ‘Luz para Todos’ e da recuperação da indústria naval. Foi bem quando falou dos aeroportos, portos e estradas, mas ficou alijado do debate sobre o crack, uma de suas especialidades.

   Marina Silva
   Foi a políticamente correta, mas será dificil encontrar alguém que consiga reproduzir o que ela disse no debate. Deixou claro que, caso haja um segundo turno, ela estará com Dilma, ou melhor, com Lula, de quem foi ministra. Serra deve ter tomado um susto com essa sua postura. Citou Deus na primeira e na última fala. E acrescentou a moradia e o meio ambiente em suas prioridades, ao lado da saude, educação e segurança.

   Plinio de Arruda Sampaio
   Com um discurso radical e fora de moda, foi o vencedor, embora isso não queira dizer absolutamente nada. Mas ganhou por teve visibilidade , embora reclamasse o tempo todo de discriminação. Foi o único que falou, repetidas vezes, de seu  partido – o PSOL. Pena que seu discurso não tenha nada a ver com quem o assistia. O ponto central de seu programa é acabar com as desigualdades e, a chave para isso, seria uma reforma agrária radical. Chegou a dizer: “Você, camponês, que está me assistindo…”, como se algum camponês ficasse acordado até meia noite para assistir a  um debate político. Acusou seus adversários de serem todos iguais, e reclamou que Serra, por ser hipondríaco, so falava de saúde. No final, entrevistado, Serra fez questão de dizer que Plínio é “tão hipocondríaco quanto eu”.

                                                      * * *

     O debate foi tão comportado que nenhum candidato pediu direito de resposta.
     Tudo leva a crer que os próximos debates serão ainda mais engessados que o da Band.