• Terça-feira, 13 Julho 2010 / 2:56

Senadores da base reclamam de Cabral

O Presidente Lula reuniu-se hoje à noite com nove senadores de oito partidos da base, e pediu aos governistas que encontrem uma saída negociada que evite as perdas impostas aos estados produtores, como é o caso do Rio de Janeiro, que perde com a emenda Ibsen Pinheiro cerca de R$ 7 bilhões.
Ao final do encontro, o líder do PDT, Osmar Dias disse ao ‘Globo’ que a orientação é para que se altere a emenda. Mas ele pontuou que a tarefa não é fácil:
- O assunto já tomou conta dos estados. Há pressão não só nos estados produtores mas nos demais. Só o bom senso pode tirar o calor da disputa – afirmou o senador paranaense. “O Rio exagerou. O governador do Rio exagerou por ser um ano eleitoral. Esta opinião é quase unânime entre os senadores”.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 0:18

Jornal do Senado é isento?

Santo de casa não faz milagre.
O cartão vermelho que o senador Eduardo Suplicy exibiu ontem contra o presidente do Senado, José Sarney, foi  destaque, na primeira página, nos principais jornais do país.
Já no jornal do Senado, o fato não mereceu nem uma única linha na capa.
Lá dentro, o discurso de Suplicy, e mais a contestação de Heráclito Fortes, teve o mesmo espaço que um breve pronunciamento do senador Almeida Lima, da tropa de choque de Renan/Sarney contra um aparte de Cristovam Buarque.
Qualquer dia vai ter discurso no plenário contra o jornal da Casa.

  • Segunda-feira, 12 Julho 2010 / 18:49

A farra (das viagens) vira farsa

A  farra das viagens vai virar a farsa das viagens.
Pelo o que foi aprovado pelas Mesas do Senado e da Câmara, nada mudará, e os Srs. Parlamentares continuarão viajando para o exterior, inclusive com suas famílias, com uma vantagem: agora não deixarão rastros. Senão vejamos:
O Senado decidiu que, a partir de agora, cada um dos 81 membros da Casa terá direito a ?apenas? cinco bilhetes de ida e volta ao seu Estado. Isso cria a falsa impressão de que tudo está resolvido. Lêdo engano.
Vamos pegar, como exemplo, um senador do Rio de Janeiro. Ele ganhará cinco bilhetes de ida e volta a Brasília, com a tarifa cheia. Isso quer dizer que a passagem emitida custará, cada trecho, R$ 1.039,50. Ele irá a uma loja da TAM e pedirá a reemisão do bilhete. Assim, viajará pagando R$ 169,50, que é o preço da tarifa econômica, e guardará para si o crédito R$ 870,00.
Sabe o que isso significa? Que ele poderá levar consigo em cada viagem, outros cinco passageiros. Ou então: toda a semana ele ganha, além da viagem de ida e volta a Brasília, o correspondente a uma viagem a Paris, Londres, Roma, Lisboa ou Nova York.
Que tal uma viagem para Europa toda a semana? Isso foi o que a Mesa do Senado aprovou.
E, a partir de agora, os Srs. Senadores continuarão levando esposas, amantes, filhos, sobrinhos, tios e sogros, a custa da Viúva sem deixar rastro, pois o bilhete será apenas um desdobramento da passagem legal e os nomes dos outros passageiros não aparecerão mais nos controles do Senado.
A acumulação de créditos continua, tanto que a Mesa decidiu dar, aos senadores de Brasília, o mesmo tratamento que é dado aos seus colegas de Goiás, embora nenhum deles more em Goiania. Eles ganharão todo mes o correspondente a cinco trechos de ida e volta a Goiania, no valor R$ 449,50 cada um, ou R$ 4.495,00 por mês, ou US$ 1.974 mensalmente, ou uma ida-e-volta a Paris 12 vezes por ano. E olha que este é o senador que menos ganha.
Na Câmara a farra será a mesma, embora com mais descaramento, pois o deputado poderá ir a qualquer cidade do território nacional. No Senado, isso dará um pouco mais de trabalho para os assessores do parlamentar.
Quanto a não punição de atos passados, o que fazer? A maioria esmagadora da Câmara utilizou a prática, e olha que a lista que o ?Congresso em Foco? divulgou ainda não é a completa. Nela não consta, por exemplo, o nome do deputado Fernando Gabeira.
E não se conhece ainda os nomes dos passageiros dos vôos internos.
O deputado Silvio Costa (PMN-PE), integrante não do baixo, mas do baixíssimo clero, comentando ontem a farra das viagens, preferiu dividir a culpa com todos, inclusive com ?a imprensa, que nunca denunciou o fato?.
?Cheguei aqui na Câmara e me deram uma verba de R$ 15 mil por mês de passagem. Perguntei o que poderia fazer com ela. E sabe o que me responderam? Faça o que quiser. Se desejar pode ir  a Lua…?
Como a TAM e a Gol/Varig ainda não viajam para lá, Silvio tirou seis bilhetes para Santiago e Londres.
E quanto entender que a farra virou farsa, não fará mais nenhum discurso sobre o assunto. E continuará viajando.

  • Sexta-feira, 21 Maio 2010 / 4:13

Senado frauda a transparência

O Portal da Transparência do Senado Federal é uma mentira.
Hoje, quem for consultá-lo, verá que todos os senadores não gastaram um único tostão da Verba Indenizatória. E isso desde 2008.
O Senado, agora, mente oficialmente

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.