• Quinta-feira, 05 Janeiro 2012 / 11:42

Oposição apoia Fernando Bezerra

     Fernando Bezerra, ministro da Integração Nacional, responsável pelo repasse de 90% das verbas contra enchente para o seu Estado, Pernambuco, é um homem de sorte.
A oposição está toda com ele.
Ou será que o deputado Sergio Guerra, presidente do PSDB, vai reclamar contra as verbas que seu Estado recebeu?
E qual será o comportamento do presidente do PPS, o também pernambucano Roberto Freire?
Já o presidente do DEM, José Agripino, não tem porque ficar falando sozinho. Além disso quem foi brindado  com verbas milionárias foi um estado nordestino – como ele.
                               * * *
Para que não se esqueça.
No governo Lula, o ministro da Integração Nacional chamava-se Geddel Vieira Lima, uma espécie de Eduardo Paes – um político que desancou o presidente e acabou sendo seu aliado.
Na sua administração, o mesmo percentual de verbas contra enchentes foi mandado para a Bahia.

  • Segunda-feira, 19 Julho 2010 / 10:51

Índio do Demo é pior do que se imaginava

 Se José Serra tivesse juízo – e ele o tem – já estaria arrependido de ter como companheiro de chapa o Índio do Demo.
A essa altura todos tem a certeza de que o vice de Serra é pessoa do mal.
Nesse final de semana, o Índio  – que emprega em seu gabinete um vagabundo que ganha sem trabalhar – deu uma entrevista ao site Mobiliza PSDB, onde acusou o PT de estar ligado às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e ao narcotráfico.
Vamos as reações:
Da candidata do PV, Marina Silva:
- As acusações de Índio da Costa ao PT são desrespeitosas. Aprendi com os índios da Amazônia que é muito importante estar bem preparado politicamente e tecnicamente, inclusive emocionalmente, para poder pretender o lugar de cacique. É preciso muita maturidade. Acho que talvez o deputado Indio ainda não esteja suficientemente preparado para ser cacique do Brasil.
                     * * * 
Do presidente do PT, José Eduardo Dutra
- São declarações de um desqualificado. A que ponto chega a política. Quando se coloca uma pessoa sem capacidade para concorrer, ela se deslumbra e fala bobagens. É a mesma coisa que pegar um jogador da terceira divisão e botar para jogar no Maracanã. Estamos pensando em processar. O problema é que ele (Indio) não vale o custo do papel necessário para a petição.
                     * * * 
Do líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza.
- Esse índio é um babaquara.
                     * * * 
Do ex-secretário Aloyzio Nunes Ferreira, candidato ao Senado pelo PSDB de São Paulo:
- Eu não vejo ligação, e não há nada que me faça ter uma análise dessas. Minhas críticas ao PT são outras. Não acho que Serra pense dessa maneira.
                     * * *
Do presidente do PPS, deputado Roberto Freire:
- Não acredito que ele tenha feito essa ligação. Não se tem nenhuma notícia disso (da suposta ligação do PT com as Farc).
                    * * *
O Índio do Demo é muito pior do que se imaginava.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 3:49

Ciro continua esperneando

O deputado Ciro Gomes continua na luta. Agora ha pouco ele postou em seu site – www.cirogomes.com. – um trecho de um poema que critica o autoritarismo:
?Na primeira noite eles se aproximam e roubam uma flor do nosso jardim.
E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem: pisam as flores, matam nosso cão,
e não dizemos nada.
Até que um dia, o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa,
rouba-nos a luz, e, conhecendo nosso medo, arranca-nos a voz da garganta.
E já não podemos dizer nada.?
Apesar de o poema se chamar ‘No Caminho, com Maiakóvski’, o russo Vladimir Maiakóvski (1893-1930) nada tem a ver com a autoria do texto, segundo informa o IG: o autor é o poeta fluminense Eduardo Alves da Costa.
“Há outros poemas que lembram o conteúdo do texto escrito por Eduardo Alves da Costa. Um é de autoria de um pastor luterano, alemão, Martin Niemöller. O outro, de Bertold Brecht. Nenhum, no entanto, de Maiakóvski. A confusão entre os autores, segundo entrevista dada por Eduardo Alves da Costa à Folha de S. Paulo em 2003, é comum. Roberto Freire teria publicado o poema em livro, na década de 1970, atribuindo a autoria do poema ao russo, colocando Eduardo como tradutor do texto”, diz o IG.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 3:21

Serra já tem núcleo político

Das repórteres Ana Paula Scinocca e Carol Pires, do Estadão’:
“O núcleo da pré-campanha do PSDB à Presidência definiu ontem um grupo de políticos que vai atuar como interlocutores de José Serra nesta fase.
Em conversas com o presidente do partido, o senador Sérgio Guerra (PE), ficaram definidos nomes de políticos do próprio PSDB e dos aliados DEM e PPS. Falarão pelo DEM os deputados José Carlos Aleluia (BA) e Paulo Bornhausen (SC).
Líder do PSDB na Câmara, o deputado João Almeida (BA) já foi escalado. Pelo PPS, o deputado Fernando Coruja (SC) também foi convocado. Outros nomes serão definidos nos próximos dias pelos presidentes do PSDB, do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), e do PPS, Roberto Freire. Senadores dos três partidos devem completar a equipe.
A missão dos interlocutores será responder a eventuais críticas dos adversários, defender discursos do candidato e divulgar a campanha para toda a sociedade. Eles também vão dar entrevistas à imprensa, de maneira a desafogar o trabalho, hoje praticamente exclusivo, de Sérgio Guerra. A ordem dada a todos foi a de não deixar nenhum ataque da campanha adversária Dilma Rousseff (PT) sem resposta.
Ofensiva. José Serra anunciará a pré-candidatura amanhã, em evento da coligação, que já conta com três partidos. O PSDB também iniciou uma forte ofensiva para tentar trazer o PP para a campanha tucana, embora a legenda tenha cargo no governo Lula – o Ministério da Cidades com Márcio Fortes.
O senador Francisco Dornelles (PP-RJ) é um dos nomes cotados para a vice-presidência da chapa de Serra, caso o PP decida formalizar a coligação com o PSDB. Os pepistas, no entanto, esperam maior definição do cenário eleitoral nos Estados antes de bater o martelo em favor da aliança com os tucanos ou petistas. Segundo o Estado apurou, parte do PP defende neutralidade nas eleições de outubro, o que liberaria os integrantes do partido para coligações diversas nos Estados.
O PSDB tem pressa para definir ainda a vinda dos nanicos PSC e PMN para a chapa de Serra. Os tucanos têm interesse nas duas siglas, de olho no tempo de TV. A preocupação da campanha tucana é arregimentar o maior número de aliados para contrapor ao tempo de TV que o PMDB vai agregar à campanha governista Dilma Rousseff. A festa de lançamento da pré-candidatura de Serra está marcada para amanhã, a partir das 9 horas no espaço Brasil XXI, em Brasília”.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 3:19

PSDB libera discurso de FHC longe de Serra

 De Catia Seabra, da ‘Folha’:
“Depois de muita controvérsia, o PSDB decidiu escalar o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso como um dos oradores da cerimônia de lançamento da candidatura Serra, no próximo sábado, em Brasília. Convidado em nome do PPS, o ex-presidente Itamar Franco também terá vez, caso confirme que estará presente.
Convencido de que já tem sua imagem associada à de FHC, o tucanato tenta sair da defensiva e acuar a petista Dilma Rousseff. Disposto a investir no discurso ético contra o PT, o PSDB vai comparar FHC e Itamar aos dois ex-presidentes que integram a aliança de apoio a Dilma, Fernando Collor de Mello (PTB-AL) e José Sarney (PMDB-AC).
Apoiada por integrantes do comando da campanha de Serra, a estratégia parte da constatação de que a associação é inevitável. Venceu o argumento de que a ausência, ou silêncio, de FHC dominaria os jornais caso ele não se manifestasse no evento. Além disso, a intenção é mostrar que o PSDB usará os exemplos de Collor e Sarney se o PT concentrar a disputa na comparação entre Lula e FHC.
O ex-governador de Minas e vice dos sonhos de Serra, Aécio Neves, também deverá discursar durante o lançamento.
Os presidentes do PSDB, Sérgio Guerra (PE), do DEM, Rodrigo Maia (RJ) e do PPS, Roberto Freire (PE), falarão para uma plateia de cerca de 2500 militantes. A ideia é que uma mulher também discurse.
Serra não deverá presenciar os discursos. Para que a cerimônia não se alongue, e ocorra a tempo de ocupar espaço robusto no domingo, a intenção é que chegue ao auditório somente minutos antes de seu próprio discurso, recebendo cumprimentos apenas depois.
Na semana passada, a participação de FHC foi objeto de polêmica. Enquanto alguns tucanos sugeriam que ele nem sequer fosse à cerimônia, outros insistiam na avaliação de que o tucanato errou ao não apoiar o legado de seu ex-presidente.
Contrariado com a exposição do debate, FHC chegou a afirmar que Serra teria de defender seu governo, do qual foi duas vezes ministro”.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 3:15

Isso não vai acabar bem-2…

O site youPode já publicou a notícia, mas vale a pena ler de novo os principais trechos da entrevista que o presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia, deu ao jornalista Josias de Souza, da ‘Folha’, sobre a decisão de Fernando Gabeira de descartar Cesar Maia de sua coligação.
Vamos a eles:
 ?Temos no Rio uma aliança do DEM, PSDB e PPS com o PV. Ou o Gabeira terá os três partidos ou não terá nenhum?.
                * * *
?Reafirmamos, o Roberto Freire, o Sérgio Guerra e eu, o compromisso de aliança dos três partidos que apóiam o Serra com o Gabeira. De nossa parte, não há problema. Achamos que o Gabeira é um ótimo nome. Mas não há possibilidade de se formar uma aliança diferente?.
                * * *
Há tres semanas, em discurso ?gravado e testemunhado por mais de 500 pessoas, Gabeira elogiou o Cesar Maia. Disse que é o melhor candidato ao Senado?.
                * * *
“Nós costumamos acreditar na palavra das pessoas. Não dá para dizer uma coisa hoje e outra amanhã?.
                * * *
?Se o (Alfredo) Sirkis e a Andréa (Gouvêa Vieira) estão enganando o Gabeira, se querem dar a vitória ao Sérgio Cabral [PMDB], estão agindo com muita competência?.
                * * *
?Sem a aliança conosco, o Gabeira não tem chance de vitória no Rio?.
                * * *
“Coligações políticas pressupõem a união de forças desiguais. Se fôssemos iguais, estaríamos todos no PV ou no DEM?.
                * * *
“A rejeição da classe média a Cesar Maia só ocorre no Posto 9, na praia de Ipanema, onde o Gabeira toma Sol?.
                * * *
“A rejeição a Gabeira começa no bairro de São Cristovão, na zona Norte, e termina em Santa Cruz, na zona Oeste. Sem contar o interior do Estado?.
                 * * *
?A base eleitoral do Gabeira vai da zona Sul à Tijuca. O resto dos votos vem por agregação, não são dele?.
                 * * *
?O Gabeira sai de um patamar de 30% na capital e cai para uma média de 10% no resto do Estado. Meu pai tem 35% dos votos da capital, 32% na Baixada Fluminense e 40% no interior do Rio?.
                 * * *
?O Gabeira recebe meia dúzia de mensagens contra o Cesar Maia na caixa postal do computador e entra em TPM. O eleitor conservador do Cesar Maia também manda mensagens contra o Gabeira. A gente tem a nossa TPM. Mas basta tomar o remedinho que isso passa?.
                 * * *
?O Gabeira perdeu (a eleição para a prefeitura do Rio) porque colocaram os valores morais à frente do debate: a tanguinha do Gabeira, a maconha e o homossexualismo. Nós não temos esses preconceitos. Ao contrário, queremos nos unir para derrotá-los. Difícil entender essa conversa mole de excluir o DEM?.
                  * * * 
?Tirando o Zito [José Camilo Zito, prefeito tucano de Duque de Caxias], quem vai botar a cara pra pedir votos pro Serra no Rio é o Cesar Maia, não o Gabeira?.
                  * * *
?Só uma pessoa que bebeu além da conta pode acreditar nesse conto da carochinha. Se o nosso projeto fosse o de eleger apenas um senador, não precisaríamos nos unir ao Gabeira?.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 1:53

DEM enquadrou Roberto Freire

De Ilimar Franco, no ‘Panorama Político’: 
“O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, recebeu uma ligação ontem às 7h.
Era o presidente do DEM, Rodrigo Maia, exasperado: ?O que esse Roberto Freire tá pensando? Vai tirar lasquinha por causa do mensalão de Brasília? Se é assim, a oposição não pode ter candidato. E o mensalão de Minas? E a (governadora) Yeda (Crusius)??. Assustado, Kassab balbuciou: ?Você tem razão. Vou resolver isso aí?. Freire levou um puxão de orelhas. Às 14h, a assessoria de imprensa do presidente do PPS ligou para a coluna: ?O Roberto pediu para dizer que não está articulando pelo Itamar Franco. Ele está trabalhando pelo governador José Serra?. Então, fica combinado assim”.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 1:48

PPS à beira da desmoralização

O presidente da CPI que iria apurar o Mensalão do DEM, na Câmara Distrital de Brasília, deputado Alírio Neto, do PPS, decidiu acabar com a comissão antes mesmo da segunda reunião.
Alírio integra a base de apoio do ainda governador Arruda.
Vamos ver o que o presidente do PPS, Roberto Freire ? hoje sem mandato -  fará com seu filiado.
Provavelmente não fará nada.
E dará mais um passo para a sua total desmoralização.

  • Terça-feira, 06 Julho 2010 / 4:39

Brigalhada programada

José Serra anunciou a criação de um Conselho Político para sua campanha.
Dele farão parte Fernando Henrique Cardoso, o ex-Senador Jorge Bornhausen, o ex-governador Aécio Neves, o senador Tasso Jereisatti, e mais os presidentes Rodrigo Maia (DEM), Roberto Freire (PPS) e Roberto Jefferson (PTB).
O difícil será obter o consenso.
Seja qual fôr o tema.

  • Domingo, 27 Junho 2010 / 4:29

Serra manda recado ao DEM

José Serra faltou ontem a convenção nacional do PPS que homologou o seu nome para a Presidencia, provávelmente fugindo da imprensa e de declarações sobre a escolha de Álvaro Dias.
Às 19h20m, contudo, o presidente Roberto Freire anunciou que Serra havia mandado um recado:
“Está firme e não vai se submeter à imposição de quem quer que seja”.
Quem viver verá.

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.