• Quarta-feira, 29 Fevereiro 2012 / 8:38

Globo ganha Copas de 2018 e 2022

       Dos repórteres Eduardo Ohata e Rodrigo Mattos, da ‘Folha’:
       “Sem concorrência, a Globo arrebatou ontem os direitos de TV sobre os Mundiais de 2018 e 2022. Houve concorrência para essas competições em países como Alemanha, Itália e EUA, o que demonstraria um benefício à emissora. Mas, de fato, há países em que a entidade realiza negociações diretas.
“A Fifa aborda cada mercado de forma diferente de acordo com as circunstâncias. Depois da Copa de 2010, a Fifa discutiu com participantes do mercado do Brasil, incluindo a Globo”, explicou a entidade à Folha. “A Fifa atingiu o seu objetivo com o acordo com a Globo.”
Ao justificar a preferência, a Fifa deixou claro que a Copa de 2014 teve influência na decisão. Ressaltou que a Globo se comprometeu a fazer cobertura “sem precedentes” do segundo Mundial no país.
Com o contrato, a Fifa agrada o principal veículo de comunicação do país num momento de delicadas discussões no Congresso relacionadas à organização da Copa.
“A força de distribuição da Globo pelo vasto território do Brasil assegura que o torneio possa ser seguido pelo máximo de pessoas possível e foi um fator determinante na nossa decisão de estender o contrato”, afirmou o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, no site da entidade.
Segundo a Folha apurou, a reação na Record foi de inconformismo, já que pretendia disputar os direitos de 2018 e 2022. Houve questionamentos na emissora em relação à falta de concorrência.
Na disputa pelos Mundiais de 2010 e 2014, a Fifa também deu preferência à Globo, mas antes ouviu outras emissoras.
A Record chegou a oferecer US$ 360 milhões (R$ 615 milhões) pelas duas competições. A proposta global foi um pouco inferior à da rival.
Mesmo assim, a Fifa alegou que levaria em conta o alcance da emissora em território nacional. A parceria entre a Globo e a entidade se estenderá por 52 anos, já que se iniciou na Copa de 1970.
Em comunicado, a Globo informou que poderá revender os direitos dos Mundiais a outras emissoras. E já fez isso com o torneio de 2014, em que terá parceria com a Band”.

  • Quarta-feira, 08 Fevereiro 2012 / 11:11

O valor da marca Corinthians

    Da colunista Monica Bergamo, da ‘Folha’:
    “Depois de recusar “proposta de R$ 220 milhões”, o Corinthians estaria prestes a fechar negócio para que uma grande empresa explore os “naming rights”, ou o direito de batizar a arena do clube. Palavra de Andrés Sanchez, presidente licenciado do Timão. A oferta “bate nos R$ 400 milhões”, diz o cartola. A Ambev está no páreo.
O Corinthians lançou pontes também para outras empresas que, como a Ambev, patrocinam o futebol na TV Globo. Uma delas, o Itaú. Isso facilitaria acordo para que a emissora citasse o nome de quem batizasse a arena na transmissão dos jogos. O clube já decidiu que não fechará negócio com nenhuma empresa concorrente das que bancam as partidas na Globo. O Itaú não comenta.
E a Ambev iniciou investida para tomar o lugar da Heineken no patrocínio ao G-4, que reúne os grande clubes paulistas: Palmeiras, Corinthians, São Paulo e Santos. Está fazendo oferta para investir em centros de treinamento, salas de troféus, vestiários e gramados.
O problema é que, para isso, o G-4 teria que descumprir contrato com a holandesa. A Ambev não comenta”.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 3:07

Franklin perde terreno no PT

De Renata Lo Prete, no Painel da ‘Folha’:
“Já foi melhor a situação de Franklin Martins na campanha de Dilma Rousseff. Vem de longe a má vontade da máquina do PT com o ministro da Comunicação Social. A novidade é que agora ele está em baixa também com os “pragmáticos” integrantes do núcleo decisório da candidatura. Alega-se que Franklin, com sua atitude permanentemente combativa em relação aos veículos da grande imprensa, não ajuda num momento em que é preciso “construir pontes” para Dilma, notadamente com a Rede Globo, emissora de maior audiência do país. O ex-ministro Antonio Palocci tem sido encarregado dessa tarefa. Antes de integrar o governo Lula, Franklin trabalhou na Globo, de onde saiu em circunstâncias pouco amistosas”.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 2:52

Serra candidato elogia Lula

Da Folha:
“O governador de São Paulo, José Serra, assumiu ontem, publicamente, a candidatura à Presidência da República.
O tucano chamou a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), para o embate ao afirmar que o eleitor fará “um juízo mais pessoal a respeito dos candidatos”. Em entrevista ao apresentador José Luiz Datena, da TV Bandeirantes, elogiou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Mas, dizendo que aposta no confronto de biografias, tentou minimizar sua influência no processo eleitoral.
“Tem que ver quem é que vai ser presidente [...] O presidente é insubstituível”, justificou.
Minutos depois, insistiu: “Não há ninguém que governe com alguém paralelamente mandando. Nem acho que o Lula pretenda fazer isso. Mas isso não funcionaria no Brasil e em nenhum lugar no mundo”.
Dois dias depois de afirmar que não comentaria pesquisas até as eleições, Serra atribuiu o bom desempenho de Dilma à exposição da petista. E rechaçou a comparação dos governos Lula e FHC na campanha:
“Há uma introdução a ela favorável neste momento. Mas a partir de um certo momento a população vai julgar não quem já foi presidente ou quem é, mas quem é candidato”.
Na entrevista, concedida no heliponto do Palácio dos Bandeirantes, Serra adiantou o discurso da campanha: “O Lula fez dois mandatos, está terminando bem o governo. O que nós queremos para o Brasil? Que continue bem e até melhore”.
Embora não tenha anunciado formalmente, Serra confirmou para abril o lançamento oficial da candidatura e, questionado, disse que não a negava. Só não faria campanha enquanto estivesse no governo.
O governador, que faz tratamento de combate ao estresse, disse que, na campanha, o eleitor poderá conhecer sua história e a de Dilma. Tratado como candidato a presidente, agradeceu quando Datena -que elogiou o “bom aspecto” do governador- desejou-lhe “boa sorte na corrida presidencial”.
Assustado com a repercussão da entrevista -que incomodou concorrentes da Bandeirantes- Serra tentou reduzir sua importância. “Não falei nada de especial. Não vejo razão para essa histeria coletiva”, disse. “Tudo já foi dito antes.”
Há 15 dias, a Folha informou que Serra anunciara a aliados a disposição de concorrer. Mas ontem foi a primeira vez que o governador admitiu abertamente que será candidato.
Em conversas, Serra fez questão de explicar que não estava previamente programada a aparição de crianças no programa. Na abertura da entrevista, alunos da creche do Palácio cantaram “Parabéns a Você” em comemoração ao 68º aniversário de Serra, ontem.
Nas conversas, o tucano disse temer que a entrevista reforce a pressão para que se manifeste publicamente sobre candidatura nos últimos 12 dias de governo, quando pretende fazer uma série de inaugurações.
Serra insistiu que não planejara lançar candidatura ontem. Segundo disse a aliados, pretendia, originalmente, levar Datena à AME (Ambulatório Médico de Especialidades) em Heliópolis. Mas, como atrasara devido a uma consulta, ficou constrangido e não se recusou a responder às perguntas”.

                     * * *

Como se sabe, nunca é possível agradar a todos.
No ‘Painel’, de Renata Lo Prete, ela diz que um tucano, de fora de São Paulo, se mostrou decepcionado com a entrevista:
“Mas esse programa só passa em São Paulo, né?”.
O fato certamente deve ter irritado a Rede Globo. Já que era para ser anunciado em uma entrevista à televisão, por que não escolher a emissora de maior audiência no país.
Mas Serra fez o certo. Sabe que, mesmo tendo menor audiência, a repercussão seria a mesma.
E Luiz Datena é um velho amigo, Basta ir no YouTube e ver a quantidade de entrevistas que o apresentador da Bandeirantes já fez com o governador de São Paulo.
O programa de Datena tem em média 2 pontos de audiência.  Ontem teve 1,6 e, no pico chegou a 3,4, segundo o Ibope.
No YouTube, a entrevista completa, de 25 minutos e 6 segundos, está dividida em quatro blocos. Assista a seguir.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 0:34

O irmão do Franklin

 Publicado hoje no site do ex-ministro José Dirceu:
“Uma infâmia – não tenho outro qualificativo – o que a imprensa,  jornalões e demais veículos da grande mídia fizeram nos últimos tempos contra o administrador de empresas Victor de Souza Martins, diretor da Agência Nacional de Petróleo (ANP)  e irmão do ministro da Comunicação Social, Franklin Martins.
Vitor foi acusado de usar seu cargo na ANP para aumentar a parcela de royalties paga a prefeituras que contratavam a  Análise Consultoria, empresa dele e de sua mulher. Na agência, Vitor e outros dois diretores são responsáveis por definir se um município deve ou não receber royalties do petróleo (compensação que as empresas produtoras pagam à União, aos Estados e municípios).
Vitor negou a acusação e afirmou que a Análise não assinou contrato com nenhuma prefeitura ou empresa desde que ele tomou posse na ANP, em 20 de maio de 2005. Mas tudo foi denunciado num clima de escândalo, com o fato aparecendo superdimensionado na grande imprensa.
A campanha foi ldierada pelos principais telejornais da Rede Globo e pelo jornal dos Marinhos, O Globo. Agora descobre-se que foi tudo forjado e o agente aposentado da Polícia Federal  (PF), Wilson Ferreira Pinna, lotado na ANP e apontado como autor do dossiê contra Vítor, exonerado.
A mídia, entretanto, a começar pelos veículos das Organizações Globo, ignorou solenemente  o fato. O Estadão deu uma pequena nota, a Folha de S.Paulo uma maior, mas recheada de incorreções que um dos diretores da ANP, Haroldo Lima, corrige hoje em carta ao jornal e a Rede Globo, o jornalão da família, inclusive, nenhuma linha.
É o caso de se perguntar: como fica o ultraje a Vítor de Souza Martins? Quem responde pela honra e imagem dele, arranhadas? Quem esta por detrás dessa trama? A oposição, que tanta corda deu à denúncia – só a esta, nada ao esclarecimento – sabia que era uma montagem? E as Organizações Globo, que estimularam, como ficam?
Será que temos uma central de dossiês falsos e de denúncias, articulada entre a imprensa, delegados, promotores e juízes ? Para  onde caminha o pais com tanto denuncismo e a perseguição sem limites que a imprensa conservadora move e que cresce a cada dia, na medida em que fica impune?”

                                                                               * * *
‘O Globo’ publicou dias seguidos, inclusive na manchete do jornal, uma suposta irregularidade.
Esse blog, repetidas vezes, também, rebateu todas as matérias do ‘Globo’, baseando-se em um único fato: todas elas apresentavam o diretor da ANP, como sendo o irmão do ministro da Comunicação Social da Presidência, Franklin Martins, embora ele tenha quase uma dezena de irmãos, e tenha sido nomeado para o cargo antes de Franklin virar ministro.
A campanha era tão primária, tão mal feita, tão irresponsável, que não foi difícil defender Victor Martins no escuro. Mesmo sem conhecê-lo.

  • Segunda-feira, 12 Julho 2010 / 18:32

Foi de propósito?

O jornalista Ali Kamel, diretor executivo de Jornalismo da Rede Globo, enviou uma carta para o colunista Nelson de Sá, da Folha, reclamando de crítica feita ao Jornal Nacional.
Sá publicou que o JN atacou Franklin Martins, ministro de Comunicação Social, devido ao episódio envolvendo o irmão Victor Martins e a distribuição de royaltes de petróleo.
Segundo Kamel, o JN  ?noticiou investigações da PF que envolvem o nome de Victor Martins, da ANP. Mas em nenhum momento mencionou o fato de que ele é irmão do ministro Franklin, por considerar que, até aqui, não há razão para isso?.
É claro que Ali Kamel queria apenas defender o seu quintal.
Mas acabou criticando, indiretamente, ?O Globo? – jornal que ele dirigiu até se transferir para a  televisão.
Três pontos chamam a atenção:
1 – Por que Kamel não colocou um ponto depois de Franklin? Ele não precisava dizer que não citara o ministro “por considerar que, até aqui, não há razão para isso”.
2 – ‘O Globo’ e a TV-Globo tem códigos de ética distintos, apesar de pertencerem a mesma Organização?
3 – Será que se Kamel fosse ainda diretor de ‘O Globo’, o jornal não estaria insistindo no nome do ministro?
São poucas as pessoas no mundo que não tem parentes…

  • Terça-feira, 08 Junho 2010 / 4:23

Costa lança livro de reportagens

O finalmente candidato ao governador de Minas, Hélio Costa, do PMDB, lançará na próxima semana, um livro com 50 reportagens que fez para o “Fantástico” nos anos 70, na época em que era correspondente da Rede Globo nos EUA.
Isso e nada, é absolutamente nada.

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.