• Terça-feira, 13 Julho 2010 / 3:47

O futuro de Garotinho

O PT e Dilma Rousseff estão enganados com Anthony Garotinho.
Ele não tem porque fazer a campanha da candidata do PT se ela o  repele.
Quando os dois apareceram, juntos, na convenção do PR, em Brasília, os jornais cariocas a atacaram.
Mas ela acredita que a mídia lhe dará melhor tratamento caso fique exclusivamente com Sergio Cabral?
Só se a candidata for muito infantil.
Não existe a possibilidade do ex-governador ficar isolado.
Senão vejamos.
Será que sua candidatura não interessa ao ex-prefeito Cesar Maia, rejeitado pelo deputado Fernando Gabeira?  Afinal o candidato do PR só tem, até agora, um único candidato ao Senado, o Pastor Manoel Ferreira. A segunda vaga continua em aberto, assim como a candidatura a vice-governador.
É óbvio que Cesar Maia só se aliaria a Garotinho, se esse apoiasse José Serra. E porque não ele não o apoiaria? Na última eleição Garotinho pediu votos para Geraldo Alckmin, do mesmo PSDB.
Nesse caso, como se posicionarão os jornais cariocas? Qual deles condenará José Serra? Eles ficarão contra a candidatura do ex-governador de São Paulo? 
            * * *
Em política não existe o impossível, mas é cada dia mais improvável o apoio de Garotinho a Dilma.
Ele já sinalizou isso no encontro do PR, e ela fez o mesmo ontem no Rio.
O noivado pode acabar em rompimento, embora tanto para ela, quanto para o PT,  o interessante é que os dois continuassem noivos até outubro. Mas sem casamento.
Seria uma espécie do que antes era chamado de amizade colorida.
O candidato do PR é evangélico, e tem a família como uma de suas bandeiras. Por isso não quer ‘ficar’. Ele prefere compromisso sério.
            * * *
Garotinho tem hoje dois caminhos.
1 – Aderir a Serra, desde que Serra também o apoie. O namoro não é de todo estapafúrdio. A prefeita de Campos, Rosinha Garotinho, esteve, no ano passado, pelo menos duas vezes com Serra, no Palácio dos Bandeirantes, sempre a convite do então governador de São Paulo. E certamente Serra não o chamou para uma conversa sobre o pré-sal. O fato é que o candidato do PSDB não tem palanque, no Rio,  para o primeiro turno. Na melhor das hipóteses, seu candidato preferencial, Fernando Gabeira, ficará com Marina Silva e , no segundo turno, trabalhará para Serra. E se não houver segundo turno para Presidente? Para que servirá o palanque de Gabeira? E mais: e se Gabeira não for para o segundo turno? Qual será sua contribuição?
2 – Garotinho pode assumir o discurso de que a prioridade é derrotar Sergio Cabral e companhia, já que o Rio  precisa de diversos choques: de moralidade, de administração e de carinho com o Estado. Tipo “prefiro o Rio à Paris”. No discurso, Garotinho diria que o país está resolvido, e em boas mãos, seja quem for o eleito: Dilma, Serra ou Marina, assim como também estaria bem nas mãos de Ciro Gomes, caso ele fosse candidato. Como são pessoas honradas – e Garotinho se dá bem com todos -  ele não precisaria canalizar esforços nessa disputa. Por isso cuidaria apenas do combate a Sergio Cabral, independentemente de quem o eleitor votar para Presidente. E se transformaria no único anti-Cabral, já que Gabeira tem que atender também a outros interesses.
Até o início da próxima semana, o quadro deverá ficar mais claro.
O DEM deu um prazo a Fernando Gabeira para que ele se defina até o dia 30 desse mês.
Até lá, continuarão, aparentemente, empurrando os impasses com a barriga.
Mas todos continuarão conversando.
Quem tiver o que conversar. E a oferecer.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 3:29

Garotinho vai a culto e condena aborto

Do repórter Cássio Bruno, de ‘O Globo’:
“O que deveria ser só um culto religioso, com cerca de cinco mil evangélicos, na Assembleia de Deus de Madureira, transformou-se ontem em palanque eleitoral liderado pelo ex-governador Anthony Garotinho, pré-candidato do PR ao governo. Ao lado da mulher, a prefeita de Campos, Rosinha Garotinho, e do pastor Manoel Ferreira, que disputará o Senado pelo PR, Garotinho, em seu discurso, pregou: ?Vai ser eleito governador de tudo que é tipo e senador de tudo que é estado do Brasil. Mas só vai ser eleito um governador crente, um senador crente?.
O evento marcou o lançamento do ?Manual Feminino da Cidadania?, que reproduz trechos polêmicos do Programa Nacional de Direitos Humanos do governo Lula ? como o apoio ao projeto de lei que defende a união civil de pessoas do mesmo sexo, criticado por Garotinho.
O manual distribuído ao fiéis destaca as ?22 razões para não fazer aborto?, ao lado de imagens de fetos mortos. São listadas ainda as ?22 razões para orar por Garotinho?. Na contracapa, ele aparece com Rosinha e os filhos, com o título: ?Quem tem família, defende família?.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 3:22

Rio: os números de Cesar Maia

Do blog do ex-prefeito Cesar Maia:
Números das pesquisas eleitorais no Estado do Rio, divulgadas em 2010, fazendo uma média aproximada.
“1. Para governador, Cabral tem 37% das intenções de voto. Garotinho 23% e Gabeira 18%. Na Capital, Cabral tem 34%, Gabeira 30% e Garotinho 13%. Nos municípios metropolitanos, Cabral tem 37%, Garotinho 26% e Gabeira 15%. No Interior Cabral tem 33%, Garotinho 32% e Gabeira 11%.
2. Na Capital, do Centro à Barra da Tijuca, passando pela Zona Sul, Cabral tem 28%, Garotinho tem 6%, Gabeira tem 46%. Na Zona Norte, incluindo Jacarepaguá Cabral tem 36%, Garotinho tem 13% e Gabeira 30%. Na Zona Oeste, Cabral tem 38%, Garotinho 19% e Gabeira 10%.
3. Para senador, em dois votos, Crivella tem 39% das intenções de voto, Cesar Maia 35%, Lindberg 15%, Pr. Manoel Ferreira 11%, Picciani 9%, e os demais somados 10%. Na Capital Crivella tem 37%, Cesar Maia 35%, Lindberg 10%, Pr. Manoel Ferreira 9%, Picciani 7%, e os demais somados 13%. Nos municípios metropolitanos, Crivella tem 44%, Cesar Maia 34%, Lindberg 18%, Pr. Manoel Ferreira 11%, Picciani 10% e os demais 8%. No Interior, Crivella tem 35%, Cesar Maia tem 36%, Lindberg 13%, Pr. Manoel Ferreira 12%, Picciani 11% e os demais 7%.
4. Na Capital, do Centro à Barra da Tijuca, Crivella tem 24%, Cesar Maia 32%, Lindberg 12%, Pr. Manoel Ferreira 7%, Picciani 3% e os demais 16%. Na Zona Norte, incluindo Jacarepaguá, Crivella tem 40%, Cesar Maia tem 35%, Lindberg 9%, Pr. Manoel Ferreira 9%, Picciani 9%, e os demais 12%. Na Zona Oeste Crivella tem 45%, Cesar Maia 36%, Lindberg 11%, Pr. Manoel Ferreira 10%, Picciani 8%, e os demais 5%.
5. Intenção de Voto de Senador. Apenas o Primeiro Voto. Crivella 27%, Cesar Maia 21%, Lindberg 7%, Pr. Manoel Ferreira 5%, Picciani 5%, Demais somados 4%.
6. Intenção de voto de Senador. Alguns cruzamentos. Renda Até 5 SM: Crivella 45%, Cesar Maia 35%, Lindberg 9%, Pr. Manoel Ferreira 12%, Picciani 8%, demais 5%. Intenção de voto Senador mais que 5 SM. Crivella 27%, Cesar Maia 35%, Lindberg 11%, Pr. Manoel Ferreira 7%, Picciani 11%, Demais 14%.
7. Intenção de Voto de Senador, por nível de instrução. Até 2 grau incompleto: Crivella 45%, Cesar Maia 36%, Lindberg 9%, Pr. Manoel Ferreira 13%, Picciani 9%, demais 9%. 2 grau completo até nível superior: Crivella 28%, Cesar Maia 34%, Lindberg 11%, Pr. Manoel Ferreira 8%, Picciani 9%, Demais 13%.
8. Religião. Evangélicos: Crivella 56%, Cesar Maia 24%, Lindberg 10%, Pr. Manoel Ferreira 27%, Picciani 7%, Demais 9%. Católicos: Crivella 32%, Cesar Maia 41%, Lindberg 10%, Pr. Manoel Ferreira 4%, Picciani 11%, Demais 9%”.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 3:17

Pesquisa no Rio é muito curiosa

De Ilimar Franco, no Panorama Político, de ‘O Globo’:
“O PSDB do Rio reuniu sua Executiva ontem. Alguns de seus membros tiveram acesso a uma pesquisa. Nela, 17% de eventuais eleitores de Fernando Gabeira (PV) ao governo dizem que mudariam o voto se Cesar Maia integrar a chapa”.
É esquisito o resultado da pesquisa, pois embora exista a coligação, inexiste a vinculação.
Portanto, o eleitor de Gabeira pode votar nele, e escolher dois outros senadores distintos, entre eles, Marcelo Crivella, Jorge Picciani, Lindberg Farias, Pastor Manoel Ferreira, Marcello Cerqueira e Aspásia Camargo, entre outros.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 3:09

O voto dos evangélicos

O Pastor Manoel Ferreira foi um dos que ganharam com a  derrota de Benedita.
Serão dois votos para o Senado.
O primeiro deles, sem dúvida, irá para o bispo Marcelo Crivella.
A evangélica Bené poderia dividir as preferências com Ferreira.
Agora, mesmo informalmente, a dobradinha está feita: eles votarão no bispo e no pastor.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 1:55

TRE representa contra Garotinho

Deu na ‘Folha’:
“O Ministério Público Eleitoral no Rio de Janeiro já fez 54 representações por propaganda eleitoral antecipada ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ). Doze pré-candidatos e três partidos políticos (PR, PPS e PSB) são os alvos da fiscalização. A multa varia de R$ 21,2 mil a R$ 53 mil.
Entre os prováveis concorrentes ao governo, apenas o ex-governador Anthony Garotinho (PR) aparece na lista.
Ele foi acusado de ter feito propaganda por meio do site www.voltagarotinho.com.br, juntamente com o deputado federal e seu aliado Geraldo Pudim (PR-RJ).
Garotinho é acusado ainda de ter usado a propaganda partidária na TV para promover sua candidatura. O PR também vai responder a duas representações pelo mesmo motivo.
Ontem, em Quissamã (norte fluminense), o TRE apreendeu cerca de 20 faixas que saudavam a visita de Garotinho e do pastor Manoel Ferreira. Para o tribunal, havia indícios de propaganda eleitoral.
Apesar de Garotinho ser o mais célebre entre os suspeitos, ele não é quem mais foi autuado. O líder é o deputado estadual Dionísio Lins (PP), com 25 representações.
Procurado pela Folha, Garotinho não retornou. Dionísio Lins admitiu que tinha faixas, mas disse que as removeu após ser notificado”.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 1:34

O quadro do Rio

Cesar Maia insiste em dizer que é candidato ao Senado, e não ao governo do Rio.
Estarão em disputa duas vagas para o Senado. E apesar da eleição ser majoritária, não é necessário ter a maioria dos votos, e sim estar entre os dois mais votados.
Hoje são candidatos ao Senado, os seguintes políticos:
1.Marcello Crivela, candidato a reeleição. Tem o apoio da Igreja Universal e é o candidato de Lula.
2.Cesar Maia, ex-prefeito do Rio. Em todas as pesquisas aparece bem posicionado. É o político que encara hoje o anti-lulismo no Rio de Janeiro.
3.Fernando Gabeira, deputado, quase foi eleito prefeito do Rio, e por isso teria grande força na Capital.
4.Jorge Picciani, é o mais fraco deles. Mas preside a Assembléia Legislativa e contará com os recursos e a máquina eleitoral do governador Sergio Cabral.
5.Benedita da Silva, ex-deputada, ex-senadora, ex-governadora do Rio, deixou de disputar duas eleições para concorrer ao Senado. Não conseguiu eleger o  marido vereador do Rio, mas pode ser candidata forte se conseguir legenda do PT.
6.Pastor Manoel Ferreira, deputado, já foi candidato ao Senado e foi bem votado. Será apoiado pelo candidato Garotinho.
7.Lindberg Farias, prefeito de Nova Iguaçu, quer ser eleito pela Baixada. Desmoralizou-se um pouco quando atacou Cabral e agora aliou-se a ele em troca de R$ 100 milhões para obras em seu reduto eleitoral.
Se todo o eleitorado do Rio se dividisse entre esses sete principais candidatos, os dois novos senadores seriam eleitos com pouco mais de 15% dos votos.
Como não precisam da maioria, todos acreditam na vitória.
Mas em certos casos – Cesar Maia e Fernando Gabeira são dois bons exemplos -  uma candidatura ao governo do Estado talvez fosse mais confortável. Qualquer dos dois disputando um segundo turno contra Sergio Cabral, levaria fácil o governo.
Se os dois fossem candidatos à Governador, é possível que Cabral não chegasse nem ao segundo turno.
Até março muita água ainda vai rolar.

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.