• Terça-feira, 03 Agosto 2010 / 13:24

Zeca: ‘Vida da Minha Vida’

   O compositor Moacyr Luz está rindo à toa.
Zeca Pagodinho gravou mais um samba do Moa, desta vez com Sereno, do grupo Fundo de Quintal.
E ainda fez dele o título de seu CD: ‘Vida da Minha Vida’.
                  * * *
Seu produtor Rildo Hora resume o disco em uma frase:
- O Zeca é como o Frank Sinatra: você ainda nem ouviu e já sabe o que vai encontrar.

  • Segunda-feira, 19 Julho 2010 / 9:40

Liesa quer fazer roda de samba

   A Liesa – Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro – quer abrigar, na Cidade do Samba, provávelmente nas quartas-feiras, uma roda de samba semanal.
A idéia é começá-la em agosto, no máximo em setembro. O primeiro sondado pelo presidente Jorge Castanheira, para cuidar da programação do espaço, foi o compositor Moacyr Luz, que há cinco anos comanda o Samba do Trabalhador, no Clube Renascença, todas as segundas-feiras; e o Samba Luzia, na primeira sexta-feira do mês, na laje defronte ao aeroporto Santos Dumont, há quatro anos.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 2:06

Marginais são seguranças do Metrô

Do sambista e compositor Moacyr Luz recebi um comentário que vale uma nota:
“Ontem (domingo de Carnaval) arrisquei voltar de metrô depois do desfile do ?Simpatia’.
Quando chego na Estação General Osório encontro apenas um acesso aberto, e com seguranças controlando a entrada.
Um empurra-empurra desesperador e eu grito, humilhado, que aquilo era uma vergonha!!!
Resposta do segurança empunhando um cassetete:
- Fala baixo que eu tô trabalhando e você está de vagabundagem!!!
Quase me mijei com a ameaça, o que seria pior: acabaria preso pelo choque de ordem!!!”
Vagabundos, é bom que fique claro,  são os que trabalham nessa sem-vergonhice, antes orgulho da cidade, chamada Metrô.
E meliantes são os que selecionam e empregam os marginais que lá trabalham. Eles devem ter sido transferidos da SuperVia. Daquele que grupo que adorava dar porrada em trabalhador para se livrar de passageiros na plataforma.
Se houvesse governo nessa cidade, a estação da General Osório estaria fechada.

  • Quarta-feira, 20 Janeiro 2010 / 1:47

São Sebastião: do Rio de Janeiro?

Hoje é o dia de São Sebastião, padroeiro do Rio de Janeiro.
Segundo contam, Sebastião alistou-se como soldado do Exército Romano, por volta de 283 D.C, com a firme intenção de consolar os corações dos cristãos, enfraquecido diante das torturas.
Os imperadores Diocleciano e Maximiliano o adoravam e, por isso, queriam tê-lo sempre por perto.
Ignorando o fato de Sebastião ser cristão, eles chegaram a nomeá-lo capitão de sua guarda pessoal.
Mas em 286 D.C., aos 30 anos, ao perceberem a sua conduta branda com relação aos cristãos, Diocleciano sentiu-se traído e condenou-o a morte sumáriamente.
E mandou matá-lo a flechadas.
Dado como morto, seu corpo foi jogado em um rio, e resgatado por Irene (Santa Irene). Ele continuava vivo.
Levado, mais uma vez, a presença de Diocleciano, esse ordenou que o matassem de novo: dessa vez a pancadas.
Sebastião resistiu, até que foi morto por uma lançada.
O bárbaro método de execução de São Sebastião fez dele um tema recorrente na arte medieval. Por isso, geralmente, o Santo é representado por um jovem amarrado a uma estaca e perfurado por várias flechas.
Assim como São Jorge, São Sebastião também foi um Santo Guerreiro.
Para não acusarem esse blog de só criticar Sergio Cabral, aí vai uma dica para o governador utilizar no próximo ano ? esteja ele reeleito ou não.
São Sebastião nasceu na França, na cidade de Narbonne, uma cidade portuária a 849 quilômetros de Paris. É um pouco longe, mas o Santo merece esse sacrifício na comemoração de sua data.
Em homenagem ao Santo e ao Rio de Janeiro, com vocês Moacyr Luz cantando “Saudades da Guanabara”, música dele em parceria com Aldyr Blanc e Paulo Cesar Pinheiro.

Para cantar com o Moa:

Eu sei
Que o meu peito é uma lona armada
Nostalgia não paga entrada
Circo vive é de ilusão (eu sei…)
Chorei
Com saudades da Guanabara
Refulgindo de estrelas claras
Longe dessa devastação (…e então)
Armei
Pic-nic na Mesa do Imperador
E na Vista Chinesa solucei de dor
Pelos crimes que rolam contra a liberdade
Reguei
O Salgueiro pra muda pegar outro alento
Plantei novos brotos no Engenho de Dentro
Pra alma não se atrofiar (Brasil)
Brasil, tua cara ainda é o Rio de Janeiro
Três por quatro da foto e o teu corpo inteiro
Precisa se regenerar
Eu sei
Que a cidade hoje está mudada
Santa Cruz, Zona Sul, Baixada
Vala negra no coração
Chorei
Com saudades da Guanabara
Da Lagoa de águas claras
Fui tomado de compaixão (…e então)
Passei
Pelas praias da Ilha do Governador
E subi São Conrado até o Redentor
Lá no morro Encantado eu pedi piedade
Plantei
Ramos de Laranjeiras foi meu juramento
No Flamengo, Catete, na Lapa e no Centro
Pois é pra gente respirar (Brasil)
Brasil
Tira as flechas do peito do meu Padroeiro
Que São Sebastião do Rio de Janeiro
Ainda pode se salvar

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.