• Terça-feira, 13 Julho 2010 / 2:33

Novo tribunal tem três escolhidos

 Três dos sete conselheiros do novo Tribunal de Contas, cuja criação será votada, hoje ou amanhã, pela Assembléia Legislativa do Rio, já estão escolhidos. Eles ganharão um salário de R$ 26 mil mensais,  podendo se aposentar cinco anós após a nomeação, com vencimentos integrais.
São eles:
1 – A ex-juiza, ex-deputada e candidata derrotada ao governo do Rio,  Denise Frossasrd. Ela foi indicada pelo seu companheiro de partido, o deputado André Corrêa, do PPS, um dos autores da vergonhosa emenda constitucional. Denise ganha atualmente uma aposentadoria da Justiça de R$ 18 mil, embora tenha trabalhado apenas 14 anos. Ela passará a receber R$ 44 mil por mês,  até o resto dos seus dias. Para quem é solteira, e sem filhos, Frossard não tem do que reclamar.
2 – A deputada Cidinha Campos, do PDT, que também subscreveu a emenda do trem da alegria, indicará o seu chefe de gabinete. Seu nome é o pseudônimo do escritor e filósofo François-Marie Arouet, que assinada Voltaire, embora a grafia de seu nome seja mais modesta. Seria a versão ‘naif’ do iluminista francês.
3 – O deputado Luiz  Paulo Corrêa da Rocha, um dos seis parlamentares do PSDB, é outro escolhido. Embora não tenha subscrito a emenda, ele é favorável a sua aprovação. Luiz Paulo é considerado um dos deputados mais atuantes da Assembléia, mas não se sabe quem bancará a sua indicação. Engenheiro civil, ele ocupou as secretarias de Obras, Urbanismo e Meio-Ambiente e Transportes, na Prefeitura, foi vice do governador Marcello Alencar e, no Estado, ocupou a secretaria de Obras e depois a chefia da Casa Civil.  Está no seu segundo mandato, e foi um dos nomes cogitados pelo PSDB para ser vice na chapa de Fernando Gabeira. A perspectiva de ocupar uma cadeira de conselheiro do novo Tribunal de Contas o atraiu.
O projeto de emenda tem ainda outros dois signatários, mas não se sabe ainda quais serão os nomes indicados por eles. Paulo Ramos, do PDT, teve durante todo o processo sérios atritos com a bancada do PT; e Marcelo Freixo, do Psol, foi o que mais se expôs, não só dentro da Assembléia como fora dela. É possível que não indique ninguém: não porque não deseje, mas por absoluta falta de quadros.
O governador terá o direito de indicar três conselheiros. isso num ano eleitoral é como mamão com mel.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 2:04

Arruda a um passo da cadeia

Êta semaninha boa.
Hoje ainda é quinta-feira e todos os dias tivemos boas notícias.
1. O General Raymundo Nonato de Cerqueira Filho, candidato a uma vaga de ministro do STM,  que havia criticado os gays, enviou uma carta, para a Mesa do Senado, se retratando e pedindo desculpas ao homossexuais.
2. Já o General Maynar Marques de Santa Rosa, diretor-geral de Pessoal do Exército, vestiu o pijama, depois de ter divulgado na internet um texto que chamava de fanáticos os integrantes da Comissão da Verdade.
3. No Rio, o deputado Fernando Gabeira conseguiu finalmente fechar a aliança PV-PSDB-DEM-PPS. isso foi na terça-feira na casa de Marcello Alencar. O presidente de honra do PDT, Carlos Lupi, decidiu apoiar a candidatura de Garotinho ao governo do Rio. Com isso, o candidato do PR ganha mais uns minutos de propaganda na TV. Lupi disse que procurou Garotinho, atendendo a um pedido da ministra Dilma Rousseff. Pena que os leitores de jornais cariocas não saibam, até hoje, nada de Gabeira, nem de Garotinho. No Rio, a imprensa só cuida de Sergio Blindado Cabral.
4. O Presidente Lula ainda não decidiu se vem assistir ao desfile das Escolas de Samba. Se não vier, não precisará dividir, com Cabral, as vaias que estão sendo anunciadas para o Sambódromo. Se Madonna estiver ao lado de Sergio Odorico Cabral, ficará obvio que o público não estará vaiando a cantora.
5. O novo presidente da OAB, Ophir Cavalcante, pediu a prisão preventiva do governador de Brasília, José Roberto Arruda. E o melhor: o ministro do STJ, Fernando Magalhães, relator do inquérito que corre contra o Governador, já decretou a prisão preventina de Arruda. Mas seu relatório precisa ser aprovado pela Corte do STJ que está reunida, nesse momento, examinando a medida.
É bom demais pra ser verdade. A torcida é enorme.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 2:01

Gabeira formaliza candidatura

Até mesmo para se saber quem é candidato ao governo do Rio, é preciso ler nos jornais de São Paulo.
A ‘Folha’ de hoje informa, em matéria assinada por Sergio Torres, que Fernando Gabeira fechou acordo com o DEM e o PSDB para enfrentar Sergio Cabral:
“PV, PSDB, DEM e PPS formalizaram acordo ontem para ter o deputado federal Fernando Gabeira (PV-RJ) como o candidato da aliança ao governo do Rio. O ex-prefeito Cesar Maia, do DEM, deverá concorrer ao Senado.
A decisão sobre a chapa foi tomada à tarde em reunião de lideranças locais dos quatro partidos no apartamento do ex-governador Marcello Alencar (PSDB), no Rio.
Ficou acertado que Gabeira terá um tucano como candidato a vice-governador, possivelmente o ex-deputado federal Márcio Fortes. O DEM indicará um candidato ao Senado. O PPS, o outro.
Gabeira disse à Folha, por telefone, que desistiu de concorrer ao Senado porque a coalizão não tinha outra alternativa para disputar a sucessão do governador Sérgio Cabral Filho (PMDB).
“Ficou difícil para mim sair de uma eleição [para prefeito do Rio, em 2008] com 1,5 milhão de votos e apoiar qualquer candidato. Disse aos partidos coligados que se sentissem confortáveis, pois eu sairia para disputar o governo”, afirmou.
Cesar Maia representou o DEM no encontro. Prefeito do Rio por três mandatos, ele, desde o início das discussões repetia não ter interesse em concorrer ao governo estadual -queria o Senado.
O outro concorrente ao Senado pela aliança ainda não foi indicado pelo PPS. A ex-deputada Denise Frossard é o nome com maior visibilidade no partido.
Na eleição para o governo estadual, Gabeira, além de Cabral Filho, enfrentará o ex-governador Anthony Garotinho, já lançado candidato por seu partido, o PR. Assim como Cabral, Garotinho afirma que vai apoiar Dilma Rousseff (PT) ao Planalto”.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 1:16

Cabral e Silveirinha

O ex-governador Anthony Garotinho dá a sua versao, hoje, em seu blog, do episódio Silveirinha, agora que parte do dinheiro será repatriado. Veja o que diz o ex-governador:
“O ministro Tarso Genro anunciou que o governo brasileiro conseguiu a devolução aos cofres públicos, pelo governo da Suíça, de cerca de US$ 30 milhões desviados por fiscais da Receita Estadual e auditores federais. É uma boa oportunidade para que todos conheçam em detalhes algumas particularidades do escândalo que ficou conhecido com Propinoduto.
Em primeiro lugar vale a pena destacar, que quando o assunto veio à tona, em 2003, a então governadora Rosinha Garotinho e eu tomamos a iniciativa de processar administrativamente os envolvidos tirando-lhes as funções públicas, exigimos da Assembléia Legislativa uma CPI e por fim colaboramos com a Justiça Federal para que os responsáveis fossem exemplarmente punidos. Os fiscais foram presos, processados, condenados e agora o dinheiro está sendo devolvido.
Em qual outro desvio de dinheiro público foram tomadas medidas tão severas como estas? E é bom lembrar que apenas um dos envolvidos, Rodrigo Silveirinha ocupou cargo de confiança no meu governo. Os demais praticaram os desvios, ao longo dos governos Brizola, Moreira Franco e Marcello Alencar, conforme ficou demonstrado ao longo do processo.
Mas, parte da imprensa tentava associar todo o tempo, Silveirinha, a mim e a Rosinha. Vamos agora conhecer um pouco da verdade. Silveirinha sempre foi grande amigo do atual governador Sérgio Cabral. Aliás, foram diretores juntos na TURISRIO, nomeados pelo então governador Moreira Franco. Na disputa do 2º turno para o governo do Estado, em 98, o PSDB de Sérgio Cabral, que havia apoiado Luiz Paulo Corrêa da Rocha no 1ºturno, se dividiu e uma parte liderada pelo então deputado estadual Sérgio Cabral declarou apoio à minha candidatura no 2ºturno contra o ex-prefeito do Rio, Cesar Maia. Quando da composição do governo não tinha a menor idéia de quem se tratava Rodrigo Silveirinha, amigo íntimo de Cabral. Sua amizade com o atual governador era tão grande, que quando estourou o escândalo, a mulher de Silveirinha estava nomeada no cargo mais importante da Presidência da ALERJ, pelo então deputado Sérgio Cabral.
Essa é a verdade. Não tínhamos há época como saber das maracutaias praticadas pelos fiscais porque eles agiam assim: lançavam multas pesadas contra grandes empresas e depois negociavam o recurso no Conselho de Contribuintes dando ganho de causa às empresas multadas. Enquanto isso, o dinheiro acertado para absolver as empresas era depositado na conta dos fiscais no exterior. Isso aconteceu durante muitos anos. E o caso só foi descoberto e a quadrilha desmontada, porque na nossa gestão não compactuamos com algo de podre que vinha acontecendo na fiscalização do estado há muitos anos.
Quando me perguntam pelo Silveirinha eu respondo: ?Perguntem ao Cabral? Eles sempre foram grandes amigos?. O atual governador deu sustentação à sua nomeação, mas tinha tanto carinho pelo Silveirinha, que a sua esposa Silvana ocupava o cargo mais importante em seu gabinete na ALERJ.
Pena, que o ex-deputado federal André Luiz, muito amigo de Silveirinha e Cabral hoje esteja fora de atividade. Porque se ele quisesse prestar um grande bem à sociedade diria quem é na verdade, o verdadeiro dono do dinheiro que estava na conta de Rodrigo Silveirinha, na Suíça. Aviso a Cabral: é só pra começar. Vem aí o escândalo do aluguel do ar condicionado para as escolas do estado. Vocês leram bem? Aluguel. E logo a seguir o esquema da fraude milionária na estocagem dos remédios do estado. Apertem os cintos”.

  • Segunda-feira, 12 Julho 2010 / 21:32

Quem policiou o Rio

 O blog do ex-governador Garotinho publica uma tabela interessante sobre entrada e saídas de PMs, desde o primeiro governo Chagas Freitas.
O levantamento foi feito pelo Departamento Geral de Pessoal da Polícia Militar do Rio de Janeiro, e deixa mal o governador Sergio Cabral que já disse, repetivas vezes, que tem aumentado o efetivo da corporação. Até o momento, o seu deficit é de 605 soldados – o que pode ser revertido até o final do governo, já que falta ainda um ano e oito meses para acabar o seu mandato.
Pelo levantamento, quem mais empregou policiais foi o ex-Governador Garotinho, seguido por Leonel Brizola em seu primeiro governo, pelas duas administrações Chagas Freitas, por Marcello Alencar e por Benedita da Silva, que governou apenas nove meses.
A maior evasão foi no segundo governo Brizola, seguido de Moreira Franco, depois Rosinha Garotinho, Sergio Cabal e Faria Lima – o primeiro governo da fusão.
Eis o quadro de entradas e saídas de PMs:

  • Segunda-feira, 12 Julho 2010 / 19:13

Cabral fora do segundo turno

 O ex-prefeito Cesar Maia faz hoje uma análise do quadro político do Rio de Janeiro para a sucessão de Sergio Cabral. E chega a conclusão que, neste momento, não existem favoritos para irem ao segundo turno.
Hoje, a situação mais grave é a do governador, que corre o risco de ficar fora dele.
Eis a sua análise:
“1. Os partidos -nacional e regionalmente- e pré-candidatos começam a fazer pesquisas para governador (ERJ) em 2010. Hoje se tem um quadro de partida muito interessante pela incerteza generalizada. Nenhum dos nomes pode garantir que é favorito para ir ao segundo turno. Atenção: não é para ganhar, mas simplesmente passar para o segundo turno.            
2. O PSDB, o DEM e o PPS estarão juntos em nível nacional e, no ERJ também o PV, todos em apoio ao Serra, candidato a presidente (supondo ser ele). A experiência de várias eleições mostra que uma forte candidatura a presidente alavanca a candidatura a governador. Em 1990 a eleição de governador foi solta. Em 1994 venceu FHC e no ERJ Marcello Alencar de seu partido. Em 1998 venceu FHC, mas sua base (PFL e PSDB) foi separada e com isso no primeiro turno a vinculação com o PSDB, em um candidato a governador que estava fora da disputa, prejudicou a ambos. Em 2002, Lula e Rosinha. Em 2006, Lula e Cabral.                    
3. Essa vinculação alavancadora impõe que a coligação no ERJ em torno de Serra não se divida e tenha um só candidato a governador. O presidente nacional do DEM já informou ao governador José Serra que o DEM deixa à vontade a coligação para escolher o candidato a governador e que só oferecerá um nome em última instância, quando e se solicitado pelos demais. Com isso as pesquisas devem trazer um nome só desta coligação (Gabeira, Denise e Maia) e oferecer listas alternativas.                    
4. A novidade é a queda do governador Cabral entre os eleitores de menor renda. Provavelmente pelo efeito combinado muro/truculência urbana/mortes em comunidades, com ênfase na capital. Garotinho ressurgiu e já é mais forte que Cabral no Interior e seu nome passou a existir na capital, nas áreas mais carentes. Alternando Cesar Maia e Gabeira vemos que a soma dos dois nas pesquisas anteriores se transforma em intenção de voto com um nome só nas atuais. Gabeira vai melhor que Maia na Capital, mas este vai melhor que aquele fora da Capital. No final a soma é a mesma.                   
5. A dúvida fica quanto à candidatura de Lindbergh, do PT. Hoje ele tem uns 7%, mas se chegar a 10% antes de junho do ano que vem, será provavelmente candidato a governador. Com esses 4 nomes, Cabral terá muita dificuldade de ir para o segundo turno. A publicidade na TV mostra sua ansiedade.                    
6. Os resultados surpreendem. Para uma expectativa de 20% de abstenção, brancos e nulos, dos 80% restantes, quando se apresentam 3 nomes: Cabral, Garotinho e Gabeira (ou Maia), o jogo está empatado em torno de 26%. Com Lindbergh a troca é inteira com Cabral e ficam Garotinho e Gabeira (Maia) com 26%, Cabral com 19% e Lindbergh com 7%. A coligação PSDB/DEM/PPS e PV avalia que com a puxada de Serra, seu candidato garante o patamar nestes 26% e pode crescer uns 5 a 7 pontos contra Cabral e Garotinho. Ou seja, 31% e Cabral e Garotinho entre 23% e 24%.
7. Esses são números ainda pré-grid de largada, mas que mostram que a eleição no ERJ será sem favorito e que a performance em campanha e a vinculação nacional serão decisivas”.

  • Quarta-feira, 28 Abril 2010 / 3:50

Cesar Maia ironiza Gabeira

 O ex-prefeito Cesar Maia postou, em seu blog, um vídeo intitulado a ‘Volta Dos Que Não Foram’, onde informa que não foi procurado para o rompímento com Gabeira, e nem foi procurado para reatar com Gabeira. E anuncia a campanha para outubro: Gabeira vai com Marina, e Cesar Maia irá com José Serra.
Veja o video de um minuto:

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.