• Terça-feira, 13 Julho 2010 / 0:25

Sonhar não custa nada

Ao não distribuir os royaltes do petróleo irmamente pelos Estados, Lula  deixou que o Congresso decida sobre o assunto.
A bancada do Rio nunca, em época alguma, votou unida. Sobre nenhum assunto.
Mas vamos supor que essa união agora seja para valer.
Não só a união do Rio, mas também a união das bancadas de São Paulo e do Espírito Santo. Todos somados, totalizam 126 deputados. Como existem 513 parlamentares, RJ, SP e ES tem apenas 24,5% dos votos.
Por que cargas d’água os outros deputados abrirão mão de parte dos royaltes para beneficiar Serra, Cabral e Hartung?
No Senado, a situação é ainda mais grave: são nove entre 81 senadoresm ou seja só 11% da Casa.
E mais: nesses estados estão incluidos senadores que não contam com a menor simpatia dos colegas. Para ficar com apenas um exemplo de cada Estado, São Paulo tem Aloísio Mercadante; Espírito Santo tem Magno Malta: e o Rio tem o folclórico pau mandado e trapalhão Paulo Sergio Duque Cabral.
Vencer alguma coisa com esse grupo só mesmo um milagre.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 0:24

Sonhar não custa nada

Ao não distribuir os royaltes do petróleo irmamente pelos Estados, Lula  deixou que o Congresso decida sobre o assunto.
A bancada do Rio nunca, em época alguma, votou unida. Sobre nenhum assunto.
Mas vamos supor que essa união agora seja para valer.
Não só a união do Rio, mas também a união das bancadas de São Paulo e do Espírito Santo. Todos somados, totalizam 126 deputados. Como existem 513 parlamentares, RJ, SP e ES tem apenas 24,5% dos votos.
Por que cargas d’água os outros deputados abrirão mão de parte dos royaltes para beneficiar Serra, Cabral e Hartung?
No Senado, a situação é ainda mais grave: são nove entre 81 senadoresm ou seja só 11% da Casa.
E mais: nesses estados estão incluidos senadores que não contam com a menor simpatia dos colegas. Para ficar com apenas um exemplo de cada Estado, São Paulo tem Aloísio Mercadante; Espírito Santo tem Magno Malta: e o Rio tem o folclórico pau mandado e trapalhão Paulo Sergio Duque Cabral.
Vencer alguma coisa com esse grupo só mesmo um milagre.

  • Segunda-feira, 12 Julho 2010 / 21:48

Os apaniguados do Senado

 O número de pessoas nomeadas secretamente pelo Senado ainda é incerto.
Começou sendo 300, passou dos 500 e pode chegar a 1000, ou até mais de 1000.
O curioso é que todos os citados até agora, só recebiam salário.
Trabalho que é bom nada.
O neto de Sarney não era conhecido no gabinete de Epitácio Cafeteira;  o ?Secreta? de Roseana nunca foi visto dirigindo um automóvel da Casa; a funcionária do gabinete de Serys  Slhessarenko, mora há dois anos nos EUA.
O único que teve um trabalho, até agora, foi o olheiro do senador Magno Malta, quando este esteve ameaçado de cassação pelo Conselho de Ética.
E assim mesmo foi trabalho temporário

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.