• Terça-feira, 13 Julho 2010 / 3:09

Picciani, grande beneficiário

O presisente da Assembléia do Rio foi o maior beneficiário da vitória de Lindberg na corrida para o Senado.
A campanha de Picciani não será fácil, mas com Lindberg fora da prefeitura de Nova Iguaçu, e a posse da vice Sheila Gama – mulher do conselheiro do Tribunal de Contas, Aloísio Gama – toda a máquina do município estará a serviço de Picciani.
Aliás, as maiores despesas da campanha de Lindinho devem ter ficado a cargo do presidente da Assembléia.
Além, óbviamente, das obras do PAC, que Cabral entregou a Lindberg.
Certamente, a maioria delas foi para outros municípios que não Nova Iguaçu.
Daí a vitória de Lindinho, cuja diferença surpreendeu até a ele próprio.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 3:09

Lindberg e Cabral, dois avacalhados

A eleição de outubro tem todos os ingredientes para avacalhar Sergio Cabral e Lindberg Farias.
Cabral tem horror a Benedita, mas seria compreensível que ele pedisse votos para ela.
Afinal, mesmo não gostando de Bené, ela é sua secretária de Estado.
Um discurso de Cabral a seu favor,  poderia até soar como algo verdadeiro.
Já com Lindberg, ficará claro, para o eleitor, que política e dinheiro estão sempre juntos.
O prefeito falou o diabo do governador. E vice-versa.
Dizem que ambos tinham razão.
Mas o eleitor, que não é bobo, sabe que, entre eles, a falsidade impera.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 3:09

Candidato sem projeto

Diz o prefeito Lindberg Farias, explicando sua vitória:
“As pessoas querem um PT altivo, que futuramente tenha um projeto de governo?.
Quer dizer então que, quando ele pensou em se candidatar a sucessão de Sergio Cabral, ele não tinha projeto algum?
É muita cara de pau.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 3:09

Vitória de Lindberg humilha Benedita

 ”Do repórter Cássio Bruno, de ‘O Globo’
Apesar de a apuração não ter sido encerrada oficialmente, o indicado do PT do Rio de Janeiro para disputar o Senado nas eleições de outubro será o prefeito de Nova Iguaçu, Lindberg Farias. O resultado das prévias foi anunciado ontem à noite pelo presidente do diretório regional fluminense, Luiz Sérgio, na sede do partido, no Centro. Até às 21h30m, dos 27.636 votos (99,9% do total), 18.546 (67,1%) foram para Lindberg. A secretária estadual de Assistência Social e de Direitos Humanos, Benedita da Silva, naquele horário, tinha 9.090 (32,9%). As parciais indicavam ainda 78 votos em branco e 73 nulos.
Todos as projeções indicam que vão votar quase 30 mil filiados. É uma demonstração de que a militância do PT está mobilizada para reconquistar uma cadeira no Senado.
Benedita da Silva só venceu na região Norte/Noroeste, que tem menor peso e pouco pode alterar. Extra-oficialmente, tudo indica que Lindberg é o vencedor dessas prévias disse Luiz Sérgio ao lado de Lindberg e de outros dirigentes petistas.
O resultado oficial será divulgado hoje. O prefeito de Nova Iguaçu comemorou a vitória, mas disse que ficou surpreso com o placar obtido sobre Benedita. A secretária não apareceu na entrevista coletiva na sede do PT. A assessoria de imprensa da secretária não retornou as ligações.
Eu não esperava uma diferença tão grande. O resultado me surpreendeu. Vamos trabalhar firme para unificar o PT. Tínhamos receio de deixar fraturas no partido (com as prévias).
Mas acho que tanto o meu comportamento quanto o de Benedita ajudaram muito. Encaro esse resultado com grande responsabilidade afirmou Lindberg, que deixará o cargo de prefeito na próxima quarta-feira.
Pela manhã, antes de votar, Lindberg revelou que as prévias desgastaram o PT após seis meses de disputa interna com Benedita. Com isso, segundo ele, o partido deixou de fortalecer a pré-candidatura à Presidência da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff: O processo foi longo e desgastante.
O pré-candidato ao Senado, porém, elogiou a adversária: Queria ressaltar meu respeito por ela (Benedita). Vou fazer de tudo para não ficar nenhum arranhão na nossa relação.
Mas tenho certeza que o PT do Rio está mais forte.
Petistas querem discutir chapa com Sergio Cabral Além de Lindberg, a chapa para o Senado do governador Sérgio Cabral (PMDB), que concorrerá à reeleição, será formada ainda pelo presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Jorge Picciani (PMDB). O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no entanto, insiste junto a Cabral para que ele apoie o senador Marcelo Crivella (PRB), postulante novamente ao cargo.
Pepino eu deixo para o Luiz Sérgio responder desconversou Lindberg.
O presidente regional do PT, por sua vez, disse que o partido vai propor aos coordenadores da pré-campanha de Cabral um debate sobre a composição da aliança com todos os partidos coligados.
Há o indicativo de apoio à candidatura de Sérgio Cabral.
Evidentemente condicionado ao apoio do PMDB nacional e estadual à candidatura da companheira Dilma Rousseff.
O nosso palanque é o de Cabral. Só que a composição da chapa majoritária é um processo de construção. Hoje, o PT e outros partidos não gostam de aderir. Todos querem construir um processo ressaltou Luiz Sérgio.
Lindberg viajou ontem mesmo para Brasília. Ele acompanhará o lançamento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC-2) com o presidente Lula. O prefeito acredita que esse é o melhor momento para disputar o Senado.
É um bom momento do PT pela grande aprovação do governo Lula, pela a minha força na Baixada Fluminense e pela ideia de renovação política explicou o petista, que começa a viajar pelo interior do estado em 5 de abril”.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 3:08

PT escolhe hoje entre Bené e Lindinho

Do repórter Rafael Galdo, de ‘O Globo’:
“Nas prévias petistas de hoje para a disputa pelo Senado no Rio,entre a atual secretária estadual de Assistência Social, Benedita daSilva, e o prefeito de Nova Iguaçu, Lindberg Farias, um tradicional eum novo PT medirão forças. Benedita joga suas fichas em sua história nopartido, que ajudou a fundar e pelo qual exerceu cargos como o desenadora e governadora.
Lindberg propõe mudanças visando uma candidatura ao governo do estado em 2014.
Em comum, no entanto, ambos exercem grande influência nas negociações dentro do PT e também com aliados políticos
Benedita diz que poderia puxar votos para Dilma Benedita tem ditoque as prévias de hoje transcendem a opção entre dois nomes, mas representam projetos políticos diferentes para o partido no Rio. No seu caso, o de continuidade de um processo, como ela diz, de fortalecimentodo PT, do qual participaria desde o início. E destaca seu papel no projeto nacional petista, reivindicando para si um contribuição significativa na eleição de Lula em 2002.
Minha experiênciae o papel que venho cumprindo no partido me credenciam nessa disputa.Não estou postulando ao cargo de senadora porque o PT hoje é governo federal. No momento, seria melhor que eu estivesse no palanque com a Dilma (Rousseff, pré-candidata do PT à Presidência), puxando votos para ela. Estou disponível.
Lindberg, por sua vez, defende uma renovação no quadro de lideranças petistas no Rio. E propõe uma mudançana relação do partido com o governo estadual, caso Sérgio Cabral se reeleja, apoiado pela coligação com o PT. Ele questiona a atuação da legenda no atual governo Cabral, do qual Benedita é secretária. E dizque essa participação não tem identidade própria, principalmente no que diz respeito aos programas sociais do estado: Qual a marca do PT no governo Cabral? Tem uma participação frágil. Queremos mudar isso.Contribuir com um programa com a cara do PT, tão bem trabalhada no plano federal.
E não ser apenas subserviente.
Destaforma, estaremos pensando nas eleições municipais de 2012 e no pleitode 2014. Uma vitória nossa põe o PT a perspectiva de ter um candidato a governador em 2014.
Os dois chegam a esse embate apesar dos esforços da cúpula nacional petista para evitar as prévias. E, para manterem sua posição, ambos reclamaram de terem recuado de outras candidaturas.
Benedita recebeu o apoio do presidente do diretório estadual do partido, o deputado estadual Luiz Sergio de Oliveira. Mas cogitase que ela esteja usando a campanha para alavancar uma possível candidatura à deputada federal. Já Lindberg agregou adeptos pelo interior, em cidades como Volta Redonda e Barra Mansa. A definição sairá do voto dos filiados, que têm das 9h às 17h para opinar”.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 3:07

Façam as suas apostas…

Guardem os números da pesquisa realizada, pela Vox Populi, para o jornal ‘O Dia’.
Cabral tem 38% dos votos, contra 20% de Garotinho e 18% de Gabeira.
Nem que a vaca tussa…
Mas justiça seja feita: embora ela apresente um quadro totalmente favorável, e irreal, a favor de Sergio Cabral, a pesquisa favorece mais a Jorge Picciani, que quer influenciar a escolha do candidato ao Senado pelo PT, a ser feita nos próximos dias.
Assim como Cabral precisou afastar Lindberg Farias da disputa para o Governo, para Picciani é prioridade máxima fazer o mesmo com Lindinho para o Senado.
Fora isso, é de de saudar o fato de ‘O Dia’, mesmo vendendo menos de 50 mil exemplares por dia, está cada dia mas rico.
Não tem o menor sentido pagar uma pesquisa exclusiva, no meio da semana, no final do mes de março.
Ou é incompetência administrativa, ou o dinheiro está sobrando.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 2:18

Lindinho se avacalha um pouco mais

 Do Panorama Político, assinado por Fernanda Krakovics:
“O prefeito de Nova Iguaçu, Lindberg Farias, passou o domingo apagando incêndio.
Ligou para Fernando Pimentel, coordenador da pré-campanha de Dilma Rousseff, para dizer que foi mal interpretado e não teve a intenção de criticar o discurso da ministra no Congresso do PT. Repercutiu mal no partido a declaração de que a fala tinha sido longa e burocrática. Lindberg disputa com Benedita da Silva a indicação para ser candidato ao Senado, e esse episódio está sendo usado como suposto exemplo de deslealdade. O prefeito disse a Pimentel que, na verdade, quis dizer que preferiu a parte mais emotiva do discurso”.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 2:08

Parou porque? Por que parou?

Depois de tudo o que foi dito nesse Carnaval, se Lindberg Farias tivesse um mínimo de seriedade, insistiria em sua candidatura ao governo do Rio.
Por que não três palanques para Dilma?

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 2:07

Marchinhas imortais para a 3ª feira Gorda de Carnaval

De Sergio Cabral para Dilma Rousseff:
Não se perca de mim
Não se esqueça de mim
Não desapareça
Que a chuva tá caindo
E quando a chuva começa
Eu acabo perdendo a cabeça
Não saia do meu lado
Segure o meu pierrot molhado
E vamos embolar ladeira abaixo
Acho que a chuva ajuda a gente a se ver
Venha veja deixa beija seja
O que Deus quiser
A gente se embala se embola se embola
Só pára na porta da igreja
A gente se olha se beija se molha
De chuva suor e cerveja

Ainda para Sergio Cabral cantar, em breve,  para Dilma Rousseff:
Covarde eu sei que me podem chamar,
Porque não calo no peito esta dor,
Atire a primeira pedra , ai, ai, ai,
Aquele que não sofreu por amor.(Covarde não sou)
Eu sei que vão censurar, o meu proceder,
Eu sei mulher, que você mesma vai dizer,
Que eu voltei pra me humilhar,
Mas não faz mal,
Você pode até sorrir,
Perdão, foi feito pra gente pedir.

Do vice do Rio, Luiz Fernando Pezão, o único do governo Cabral fiel a Dilma Rousseff:
Não quero broto, não quero,
Não quero não,
Não sou garoto
Pra viver mais de ilusão,
Sete dias da semana,
Eu preciso ver,
Minha balzaqueana.

Do deputado Fernando Gabeira ao se decidir pela candidatura ao governo do Rio:
Lá em casa tem um bigorrilho,
Bigorrilho fazia mingau,
Bigorrilho foi quem me ensinou,
A tirar o cavaco do pau,
Trepa Antonio, siri tá pau,Par
Eu também sei tirar,
O cavaco do pau.

Melô do ministro Carlos Minc:
Olha a cabeleira do Zezé
Será que ele é
Será que ele é
Será que ele é bossa nova
Será que ele é Maomé
Parece que é transviado
Mas isso eu não sei se ele é
Corta o cabelo dele!
Corta o cabelo dele!

Melô de Paris Hilton no camarote da Cerveja Devassa:
Chiquita bacana lá da Martinica
Se veste com uma casca de banana nanica
Não usa vestido, não usa calção
Inverno pra ela é pleno verãoPaulo
Existencialista com toda razão
Só faz o que manda o seu coração.

Do  governador de Brasília, em exercício, Paulo Octavio, para a Polícia Federal:
Bandeira branca amor
Não posso mais
Pela saudade que me invade
Eu peço paz
Saudade mal de amor de amor
Saudade dor que dói demais
Vem meu amor
Bandeira branca eu peço paz
 
Ó Abre-Alas, por José Serra
Ó abre alas que eu quero passar
Ó abre alas que eu quero passar
Eu sou da lira não posso negar
Eu sou da lira não posso negar
Ó Abre-Alas por Dilma Rousseff
Ó abre alas que eu quero passar
Ó abre alas que eu quero passar
Rosa de ouro é que vai ganhar
Rosa de ouro é que vai ganhar

Brasileiros nesse verão:
Allah-lá-ô, ô ô ô ô ô ô
Mas que calor, ô ô ô ô ô ô
Atravessamos o deserto do Saara
O sol estava quente
Queimou a nossa cara

Para Cabral cantar na última semana de dezembro:
Ai, ai, ai ai, ai ai ai,está chegando a hora
O dia já vem raiando, meu bem, eu tenho que ir embora

Da candidata Marina Silva:
Ê ê ê ê ê índio quer apito
Se não der pau vai comer
Lá no Bananal mulher de branco
Levou pra índio colar esquisito
Índio viu presente mais bonito
Eu não quer colar
Índio quer apito

Sergio Cabral e Eduardo Paes, de mãos dadas.
SC – Joujoux, joujoux?
EP – Que é meu balagandã?
SC – Aqui estou eu
EP – Aí estás tu
SC – Minha joujoux
EP – Meu balagandã
SC – Nós dois, depois
EP – O sol do amor que manhãs
SC – De braços dados
EP – Dois namorados
SC – Já sei Joujoux
EP – Balagandãs
SC – Seja em Paris
EP – Ou nos Brasis
SC – Mesmo distantesA
EP – Somos constantes
SC – Tudo nos une
EP – Que coisa rara
SC e EP – No amor nada nos separa

Do presidente da Cedae, Wagner Victer:
Lata d’água na cabeça
Lá vai Maria
Lá vai Maria
Sobe o morro e não se cansa
Pela mão leva a criança
Lá vai Maria
De Ancelmo Góes e Wagner Victer:
Branca é branca preta é preta
Mas a mulata é a tal, é a tal!
Branca é branca, preta é preta
Mas a mulata é a tal, é a tal!
Quando ela passa todo mundo grita:
“Eu tô aí nessa marmita!”
Quando ela bole com os seus quadris
Eu bato palmas e peço bis
Ai mulata, cor de canela!
Salve salve salve salve salve ela!

A melô do Chávez:
Daqui não saio
Daqui ninguém me tira
Onde é que eu vou morar
O senhor tem paciência de esperar
Inda mais com quatro filhos
Onde é que vou parar

De deputado Michel Temer para a ministra Dilma Rousseff:
Eu perguntei a um mal-me-quer
Se meu bem ainda me quer
Ela então me respondeu que não
Chorei,
Mas depois eu me lembrei
Que a flor também é uma mulher
Que nunca teve coração…
A flor mulher, iludiu meu coração
Mas, meu amor
É uma flor ainda em botão
O seu olhar
Diz que ela me quer bem
O seu amor
É só meu de mais ninguém,

Do trio ?Os Espertalhões?:  Wilson Carlos, Julio Lopes e Sergio Côrtes:
Mamãe eu quero, mamãe eu quero
Mamãe eu quero mamar!
Dá a chupeta, dá a chupeta, ai, dá a chupeta
Dá a chupeta pro bebê não chorar!

Da subsecretária do Cerimonial do Palácio Guanabara, Adriana Novis, campeã de diárias no exterior:

Maria Candelária
É alta funcionária
Saltou de páraquedas
Caiu na letra “O”, oh, oh, oh, oh
Começa ao meio-dia
Coitada da Maria
Trabalha, trabalha, trabalha de fazer dó oh, oh, oh, oh
A uma vai ao dentista
As duas vai ao café
Às três vai à modista
Às quatro assina o ponto e dá no pé
Que grande vigarista que ela é.

Melô de Sergio Cabral sempre que encontra alguém da área federal:
Ei, você aí!
Me dá um dinheiro aí!
Me dá um dinheiro aí!
Não vai dar?
Não vai dar não?
Você vai ver a grande confusão
Que eu vou fazer bebendo até cair
Me dá me dá me dá, ô!
Me dá um dinheiro aí!

Do governador José Serra. No Carnaval passado, esse marchinha foi cantada pelo ex-governador Arruda:
Nós, nós os carecas
Com as mulheres somos maiorais
Pois na hora do aperto
É dos carecas que elas gostam mais.

Também da dupla Ancelmo Gois e Wagner Victer:
Mulata bossa nova
Caiu no hully gully
E só dá ela
Ê ê ê ê ê ê ê ê
Na passarela
A boneca está
Cheia de fiufiu
Esnobando as louras
E as morenas do Brasil.

Esse samba mais parece um samba-enredo, devido a infinidade de compositores associados a ele.  Mas à frente vai o ministro do Esporte, Orlando Silva:
Lá vem o cordão dos puxa-saco
Dando viva aos seus maiorais
Quem está na frente é passado para trás
E o cordão dos puxa-saco
Cada vez aumenta mais

De boa parte dos moradores do Rio de Janeiro para o presidente da Cedae:
Tomara que chova,
Três dias sem parar,
Tomara que chova,
Três dias sem parar.
A minha grande mágoa,
É lá em casa
Não ter água,
E eu preciso me lavar.

Sergio Cabral, Eduardo Paes e José Gomes Temporão – os três de mãozinhas dadas:
UPA, UPA, UPA,
Cavalinho alazão
ê ê ê
Não faça assim comigo não
Lá vai o meu trolinho
Vai rodando de mansinho
Pela estrada além
Vai levando pro seu ninho
Meu amor, o meu carinho
Que eu não troco por ninguém
UPA, UPA, UPA
Cavalinho alazão…

Marchinha que FHC adorava cantar no exterior:
Yes, nós temos bananas
Bananas pra dar e vender
Banana menina tem vitamina
Banana engorda e faz crescer
Vai para a França o café, pois é
Para o Japão o algodão, pois não
Pro mundo inteiro, homem ou mulher
Bananas para quem quiser.

De Cabral para Madonna:
Garota você é uma gostosura
Foi proibida
Pela censura
Sai de perto de mim
Olhar pra você eu não posso
Me segura que eu vou ter um troço
Me segura que eu vou ter um troço
Me segura que eu vou ter um troço
Me segura que eu vou ter um troço.

Do candidato José Serra para o deputado Fernando Gabeira:
Meu periquitinho verde
Tire a sorte por favor
Eu quero resolver
Este caso de amor
Pois se eu não caso
Neste caso eu vou morrer

Do milionário Eike Batista:
Lá vem o seu China
Na ponta do pé
Lig lig lig lig lig lig lé!
Dez tões, vinte pratos
Banana e café
Lig lig lig lig lig lig lé!
Chinês
Come somente uma vez por mês
Não vai
Mais à Xangai
Buscar a Butterfly
Aqui, com a morena
Fez a sua fé
Lig lig lig lé!

Do ex-governador Garotinho para a secretária Benedita da Silva:
Esta mulher
Há muito tempo me provoca
Dá nela! Dá nela!
É perigosa
Fala mais que pata choca
Dá nela! Dá nela!
Fala, língua de trapo
Pois da tua boca
Eu não escapo
Agora deu para falar abertamente
Dá nela! Dá nela!
É intrigante
Tem veneno e mata a gente
Dá nela! Dá nela!

Da presidente do PSOL, Heloisa Helena, para o deputado Chico Alencar:

Encontrei o meu pedaço na Avenida
De camisa amarela
Cantando a Florisbela, oi, a Florisbela
Convidei-o a voltar pra casa
Em minha companhia
Exibiu-me um sorriso de ironia
Desapareceu no turbilhão da Galeria
Não estava nada bom
O meu pedaço na verdade
Estava bem mamado
Bem chumbado, atravessado
Foi por aí cambaleando
Se acabando num cordão
Com um reco-reco na mão
Mais tarde o encontrei
Num café zurrapa
Do Largo da Lapa
Folião de raça
Bebendo o quinto copo de cachaça
Isto não é chalaça

De Ciro Gomes para Lula:
Eu não sou água,
Pra me tratares assim,
Só na hora da sede,
É que procuras por mim,
A fonte secou,
Quero dizer que entre nós,
Tudo acabou.
Seu egoísmo me libertou,
Não deves mais me procurar,
A fonte do nosso amor secou,
Mas os seus olhos,
Nunca mais hão de secar.

Do senador Tião Viana para José Sarney, Renan Calheiros, Jader Barbalho, etc, etc, etc
A coroa do Rei,
Não é de ouro nem de prata,
Eu também já usei,
E sei que ela é de lata.
Não é ouro nem nunca foi,
A coroa que o Rei usou,
É de lata barata,
E olhe lá… borocochô
Na cabeça do Rei andou,
E na minha andou também,
É por isso que eu digo,
Que não vale um vintém.

Para Sergio Cabral cantar em breve para Jorge Picciani. Ou vice-versa:
Você partiu,
Saudades me deixou,
Eu chorei,
O nosso amor, foi uma chama,
O sopro do passado desfaz,
Agora é cinza,
Tudo acabado e nada mais!
Você,
Partiu de madrugada,
E não me disse nada,
Isso não se faz,
Me deixou cheio de saudade,
E paixão,
Não me conformo,
Com a sua ingratidão.

Criação coletiva começando com o ex-ministro José Dirceu:
Agora vou mudar minha conduta
Eu vou pra luta
Pois eu quero me aprumar
Vou tratar você com força bruta
Pra poder me reabilitar
Pois esta vida não está sopa
E eu pergunto com que roupa?
Com que roupa que eu vou?
Pro samba que você me convidou
Com que roupa eu vou?
Pro samba que você me convidou

Prossegue com o ex-governador José Roberto Arruda:
Agora eu não ando mais fagueiro
Pois o dinheiro
Não é fácil de ganhar
Mesmo eu sendo um cabra trapaceiro
Não consigo ter nem pra gastar
Eu já corri de vento em popa
Mas agora com que roupa?
Com que roupa que eu vou?
Pro samba que você me convidou
Com que roupa eu vou?
Pro samba que você me convidou

Finaliza com o prefeito Lindberg Farias, o Lindinho:
Eu hoje estou pulando como sapo
Pra ver se escapo
Desta praga de urubu
Já estou coberto de farrapo
Eu vou acabar ficando nu
Meu paletó virou estopa
Eu nem sei mais com que roupa?
Com que roupa que eu vou?
Pro samba que você me convidou
Com que roupa eu vou?
Pro samba que você me convidou

De Sergio Cabral para Madonna:
Lourinha, lourinha
Dos olhos claros de cristal
Desta vez em vez da moreninha
Serás a rainha do meu carnaval
Loura boneca
Que vens de outra terra
Que vens da Inglaterra
Ou que vens de Paris
Quero te dar
O meu amor mais quente
Do que o sol ardente
Deste meu país

Melô do xerife Rodrigo Betlhem, do Choque de Ordem:
Vém cá “seu” guarda
Bota pra fora esse moço
Que está no salão brincando
Com pó-de-mico no bolso.
Foi ele, foi ele sim,
Foi ele que jogo o pó em mim.

Do ex-prefeito Cesar Maia:
Tristeza
Por favor vai embora
A minha alma que chora
Está vendo o meu fim
Fez do meu coração
A sua moradia
Já é demais o meu penar
Quero voltar aquela
Vida de alegria
Quero de novo cantar
la ra rara, la ra rara
la ra rara, rara
Quero de novo cantar

Marchinha que Michel Temer adoraria cantar para Henrique Meirelles:
Oh jardineira
Porque estás tão triste
Mas o que foi que te aconteceu?
Foi a camélia
Que caiu do galho
Deu dois suspiros
E depois morreu
Vem jardineira
Vem meu amor
Não fique triste
Que este mundo é todo teu
Tu és muito mais bonita
Que a camélia que morreu.

Da ex… deixa pra lá:
Maria Sapatão
Sapatão, Sapatão
De dia é Maria
De noite é João

A melô do blog:
Quem é você que não sabe o que diz
Meu Deus do céu, que palpite infeliz…

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 1:54

O maquiavelismo de Cabral

De Ilimar Franco, hoje no ‘Globo’:
“Quando estiveram juntos no Rio, na segunda-feira, o presidente Lula chamou o prefeito de Nova Iguaçu, Lindberg Farias (PT), e ponderou que ele deveria refletir muito antes de abandonar seu mandato para tentar uma vaga no Senado”.
Lula falou com Lindberg o que Sergio Cabral gostaria de ter falado. Para o governador, o melhor é que, em Nova Iguaçu, tudo continue como está.
Primeiro, porque isso municipalizaria a figura do petista, com quem Cabral tem hoje uma inimizade íntima.
Segundo, porque se Lindberg se elege Senador, daqui a quatro ele será candidato forte ao governo do Rio.
E, por último, porém o mais importante: Cabral não é amigo de ninguém, com exceção de Régis Fichtner. A saída de Lindinho da prefeitura seria ótima para a campanha de Jorge Picciani ao Senado, pois ele passaria a ter no comando da maior cidade da Baixada, a vice Sheila Gama, uma aliada de confiança. E Cabral quer derrotar Picciani, mas não pode fazer isso abertamente.
Por isso, pediu a Lula que falasse com o “aliado”. E o Presidente, inocente, fez o jogo de Cabral, mas com outros objetivos: primeiro acreditando, de verdade, ser esse o melhor caminho para Lindberg, que assim não correria um risco desnecessário; e segundo porque isso facilitaria a vida de Benedita da Silva.
Cabral é mesmo maquiavélico.

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.