• Terça-feira, 13 Julho 2010 / 2:44

Mulher de Arruda: “todos recebem”

Do ‘Globo”:
“Em sua primeira entrevista após a prisão do marido, a mulher do governador afastado José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM), Flávia Arruda, disse ontem que as imagens dele recebendo dinheiro do ex-secretário Durval Barbosa, delator do suposto esquema do mensalão, não a espantaram.
Para ela, trata-se de prática comum no meio político.
Não me surpreende em nada, porque sei que todo mundo recebe e que a política no Brasil é assim. As pessoas precisam receber dinheiro para acampanha justificou, depois de visitar Arruda na Superintendência da Polícia Federal (PF).
Para a ex-primeira-dama, o flagrante foi gravado na précampanha de Arruda ao governo, antes de seu casamento. E o dinheiro recebido por ele foi declarado.
Ela o tratou como uma vítima do esquema revelado pela Operação Caixa de Pandora.
O único prejudicado nessa história é ele alegou.
Ontem,o Superior Tribunal de Justiça (STJ) autorizou a visita de um médicoparticular a Arruda. Flávia alegou que ele não concluiu opós-operatório de uma cirurgia ortopédica feita em novembro e sofre deum edema na perna direita. A fisioterapia, que era diária, foiinterrompida, o que estaria contribuindo para a suposta piora.
Chorando, Flávia afirmou que o marido estava sem andar há dois dias e que os médicos aumentaram a dose de antidepressivos.
A PF informou que o governador é examinado duas vezes por dia. Segundo a instituição, ele caminha normalmente.
Queixando-sede dores no pé, obteve autorização para se consultar num hospital deBrasília anteontem, mas o ultrassom não apontou anormalidades”.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 1:46

Arruda continua se complicando

Do repórter Felipe Recondo, hoje no ‘Estadão’:
“Documento apreendido pela Polícia Federal, que mostra suposta divisão de recursos no DF, foi escrito pelo governador José Roberto Arruda (sem partido), conforme perícia feita a pedido da revista Época por Ricardo Molina, perito e professor da Unicamp. As anotações integram o processo contra Arruda no Superior Tribunal de Justiça (STJ).
De posse do papel, Molina concluiu que, apesar da “limitação do material”, as anotações foram feitas por Arruda. “Podemos afirmar que, com mínima possibilidade de erro, a escrita questionada foi produzida pelo punho escritor do governador José Roberto Arruda”, escreveu no laudo divulgado ontem.
O texto manuscrito foi apreendido na casa de Domingos Lamoglia, chefe de gabinete de Arruda até outubro de 2009. O perito descartou possibilidade de as anotações terem sido feitas por Lamoglia. “Há uma série de divergências significativas entre a escrita questionada e os padrões de Domingos Lamoglia. Tais divergências são sistemáticas”, concluiu Molina.
Na folha apreendida, nomes e valores estão divididos em duas colunas intituladas “pessoais” e “política”. Na coluna “pessoais” aparece o nome “Severo” com o valor de 450 ao lado. A PF, de acordo com a revista, suspeita que seja uma referência a Severo de Araújo Dias, dono do haras Sparta. A polícia investiga se Arruda é o verdadeiro proprietário do haras. Em depoimento ao Ministério Público, o ex-secretário Durval Barbosa, responsável pelas gravações de distribuição de dinheiro, afirmou que a propriedade foi comprada pelo governador para presentear sua mulher, Flávia Arruda”.

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.