• Terça-feira, 13 Julho 2010 / 3:38

Rio: o Cristo que se dane

A recompensa de R$ 5 mil para quem der uma pista que leve aos vândalos pichadores do Cristo Redentor, é mais uma prova do descaso das autoridades do Rio pelo monumento.
O prefeito Eduardo Paes não mencionou os nomes dos doadores, não por modéstia. Foi pura vergonha.
Quando a estátua do Cristo Redentor, e o seu entorno, disputavam o privilégio de se tornar uma das 7 Maravilhas do Mundo,  o governo do Rio não moveu uma palha. Agora faz o mesmo.
Na época, nem ao menos um link do concurso – para que as pessoas votassem – o Governo do Rio exibia em seu portal.
Aécio Neves e José Serra, infinitamente mais antenados que Sergio Cabral, perceberam logo a importância da campanha e subiram o Corcovado. O governador os acompanhou, posando como um verdadeiro papagaio de pirata.
Todos entendiam que o Cristo era do Brasil, assim como as pirâmides são do Egito, a Torre Eiffel da França e o Taj Mahal da Índia. Menos o governador.
Na época, o autor desse blog disse que as autoridades preferiam, ao invés da campanha do Cristo, os jogos do PAN, pois eles movimentavam verbas e empreiteiros, proporcionavam superfaturamentos e bocas-livres, além de caixinhas e mordomias.
Eleito, o monumento não mereceu, por parte das autoridades, nem ao menos um policiamento. Por isso a ação dos pichadores.
A indignação de Cabral com o fato é zero. Até agora, ele não deu uma declaração sobre a vergonha que hoje corre o mundo. Ou a pichação não tem importância, ou ele não tem opinião.
O fanfarrão que prometeu reunir empresários para pagar uma palestra de Tony Blair ? político  desprezado pelos ingleses e sem condições de dar consultoria as Olimpíadas de Londres, mas que foi convidado para dar palpites nas Olimpíadas do Rio – não disparou um único telefonema para ajudar na busca dos pichadores.
A notícia da recompensa de R$ 5 mil, foi divulgada no mesmo dia em que a Polícia Federal prendeu um traficante, cuja recompensa era de US$ 5 milhões.
É claro que uma coisa é uma coisa, e outra coisa é outra coisa.
Mas soa estranho que um colombiano preso esteja valendo 1 mil e 800 vezes mais do que o Cristo Redentor limpo.
$ergio Cabral entende de números.
Por isso, seu comportamento é o mesmo de quando o monumento estava em campanha.
O Cristo que se dane.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 3:20

Chorou porque? Por que chorou?

Do colunista Tutty Vasques, do ‘Estadão’, em seu blog:
Entreouvido num ponto de ônibus alagado no Rio:
?Dá para confiar num governador que chora a perda dos royalties e não derrama uma lágrima diante de uma tragédia dessas, caramba?!?
              * * *
O fanfarrão só chora por dinheiro.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 3:06

Olha as UPPs aí gente…

Num governo de trapalhões, não há nada o que reclamar.
Ricardo Rotemberg, secretario-executivo da prefeitura do Rio, foi fazer uma palestra para estrangeiros no Forum Urbano Mundial, organizado pela ONU, no cais do Porto.
E revelou um dos “segredos” mais bem guardados pelas autoridades policiais do Estado: os 14 locais onde serão instaladas as próximas UPPs.
Elas serão:
1. São Carlos (Estácio)
2. Cerro-Corá (Cosme Velho)
3. Prazeres, Fogueteiro e Fallet (Santa Teresa)
4. Macacos e Andaraí (Vila Isabel)
5. Salgueiro, Formiga, Borel (Tijuca)
6. Complexo de São João e Matriz (Engenho Novo)
7. Parque Alegria (Caju)
8. Mangueira (São Cristóvão).
Segundo ele, a idéia é criar “um cinturão de segurança para a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016, abrangendo parte do Centro, Zona Sul e Zona Norte”
O prefeito Eduardo Paes desautorizou o servidor e disse desconhecer as áreas que ganharão unidades.
- Se eu mesmo, que sou o prefeito e estou sempre em contato com o governador Sérgio Cabral, desconheço o cronograma, imagina um funcionário de terceiro escalão – disse o prefeito.
É óbvio que a lista é essa.
Ou Rotemberg não tem a menor importância e, por isso, não teria que fazer  palestra alguma para estrangeiros num forum da ONU; ou ele é importante e, tendo que falar para os visitantes, mostrou o que tinha de melhor.
Quanto ao fato de anunciar as próximas UPPs o que tem isso demais?
O próprio governador fanfarrão cuida disso.
No Pavão-Pavãozinho, o trapalhão fez o anúncio com uma atencedência de 72 horas para que a bandidagem abandonasse o local.
E por essas e outras que muitos não acreditam nas UPPs, já que elas não prendem, nem desarmam os bandidos. Apenas os transfere de comunidade.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 2:37

Cabral, doente fanfarrão

Até doente Cabral é fanfarrão.
Na porta do Teatro João Caetano, no dia seguinte a forte dor de cabeça que obrigou o governador a ir ao Hospital Quinta D’Or, Cabral disse aos repórteres que sentiu-se mal no momento em que dava uma entrevista para o ‘The Wall Street Journal’.
Dava nada.
A entrevista era para uma rádio.
Ou Cabral disse isso apenas para anunciar que foi entrevistado pelo ‘Wall Street’, e isso prova que ele está realmente muito bem de saúde;
Ou falava para uma rádio pensando que era para o jornal.
Nesse caso, sua saúde inspira cuidados.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 1:58

Fanfarrão faz mais uma trapalhada

Como esse blog anunciou há dias, o anuncio do governador fanfarrão Sergio Cabral, de que o Palácio Gustavo Capanema iria servir de sede para o Comitê das Olimpíadas de 2016, pegou todos de surpresa.
E ele não atropelou apenas o prefeito Eduardo Paes, mas também o ministro Orlando Silva e o presidente do COB, Carlos Nuzman. Ontem, se soube que o usuário do prédio, Fernando Haddad, leu a notícia nos jornais.
Aqui foi dito que o prédio, ao contrário do que afirmara o trapalhão Cabral, não estava ocioso. Para que todos vejam a enorme confusão armada por ele, veja a matéria de hoje, em ‘O Globo’, assinada por Luiz Ernesto Guimarães:
“O anúncio feito na semana passada em Londres, pelo governador Sérgio Cabral, de que o Palácio Gustavo Capanema, no Centro, servirá como sede do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de 2016 (CO-Rio) e da Autoridade Pública Olímpica (APO), órgão que vai gerenciar os preparativos do evento, se transformou em polêmica.
Referência da arquitetura modernista, o prédio tem hoje a maior parte de seus andares ocupados pelos ministérios da Educação e da Cultura, que não foram informados previamente da decisão. Como informou ontem Ancelmo Gois em sua coluna no GLOBO, entre os que foram apanhados de surpresa, está o ministro da Educação, Fernando Haddad.
Os Jogos Olímpicos não estavam previstos num projeto desenvolvido há dois anos em parceria entre o governo federal e a Unesco. Na época, uma concorrência pública selecionou um grupo de pesquisadores para, com recursos da União repassados pela Unesco, trabalhar na proposta de transformar o Palácio Gustavo Capanema no Centro de Memória da Educação Brasileira.
? Nós já estávamos nos preparando para lançar um programa de visitas guiadas às obras de arte do imóvel e planejando uma série de atividades que ajudem no aprimoramento de professores.
Nunca tratamos de Olimpíadas. E o CO-Rio 2016 pode ter dificuldades para se estabelecer.
Ao contrário do que se falou, o imóvel não se encontra subutilizado. O prédio está inteiramente ocupado ? disse a professora Jandira Motta, coordenadora da pesquisa.
O representante do MEC no Rio, Cícero Fialho Rodrigues, aguarda agora uma orientação de Brasília. Segundo ele, cerca de R$ 900 mil já foram investidos no projeto. A Unesco preferiu não se pronunciar.
? Para nós, a vinda da Rio 2016 é uma surpresa, mas aguardo orientações superiores.
A história da educação e da cultura brasileira passam por este prédio ? afirmou Cícero.
Ontem, o prefeito Eduardo Paes, que chegou a anunciar o desejo de as entidades olímpicas se instalarem na Zona Portuária, voltou a afirmar que a escolha do Capanema teve seu apoio. Já o presidente do Comitê Organizador da Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, reconheceu não saber ainda se o prédio atenderá às suas necessidades.
Ele disse que não partiu do CO-Rio 2016 a divulgação do plano para o palácio: ? Não fui eu quem anunciou.
No dia em que visitarmos o local, poderei responder. Primeiro, tenho que ver o espaço”.

  • Quinta-feira, 13 Maio 2010 / 4:06

O Tapioca e o parlapatão

Gostaria de pedir desculpas aos que acompanham esse blog, por ter dito, certa vez, que o ministro Orlando Silva, o ministro da Tapioca, estava atrás de uma boquinha com a criação da Autoridade Pública Olímpica.
Isso não é verdade.
O cargo não é uma simples boquinha.
Ela é uma enorme boca que comandará 496 cargos.
                        * * *
Aliás, o dono da boca, disse que a sede da instituição será “na zona portuária. (Ela) Levará a revitalização para aquele lugar”.
Ué, mas Sergio Cabral não havia anunciado, em Londres, onde foi convidar um facínora para assessorá-lo nas Olimpíadas, que a sede seria no antigo prédio do MEC?
O fanfarrão é mesmo um parlapatão!

  • Sexta-feira, 05 Junho 2009 / 3:24

Acredite se quiser…

De Berenice Seabra, em sua coluna no jornal ‘Extra’:
“O governador Sergio Cabral chegou ontem a São Gonçalo – para variar – com duas de atraso, às 12h. Mas chegou bem: sete (isso mesmo, sete!) helicópteros desceram no Clube Mauá.
A prefeita Aparecida Panisset pediu R$ 300 milhões ao governador.
Levou R$ 33 milhões”.
                   * * *
Essa é a verdadeira face do fanfarrão.

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.