• Terça-feira, 13 Julho 2010 / 2:07

Marchinhas imortais para a 3ª feira Gorda de Carnaval

De Sergio Cabral para Dilma Rousseff:
Não se perca de mim
Não se esqueça de mim
Não desapareça
Que a chuva tá caindo
E quando a chuva começa
Eu acabo perdendo a cabeça
Não saia do meu lado
Segure o meu pierrot molhado
E vamos embolar ladeira abaixo
Acho que a chuva ajuda a gente a se ver
Venha veja deixa beija seja
O que Deus quiser
A gente se embala se embola se embola
Só pára na porta da igreja
A gente se olha se beija se molha
De chuva suor e cerveja

Ainda para Sergio Cabral cantar, em breve,  para Dilma Rousseff:
Covarde eu sei que me podem chamar,
Porque não calo no peito esta dor,
Atire a primeira pedra , ai, ai, ai,
Aquele que não sofreu por amor.(Covarde não sou)
Eu sei que vão censurar, o meu proceder,
Eu sei mulher, que você mesma vai dizer,
Que eu voltei pra me humilhar,
Mas não faz mal,
Você pode até sorrir,
Perdão, foi feito pra gente pedir.

Do vice do Rio, Luiz Fernando Pezão, o único do governo Cabral fiel a Dilma Rousseff:
Não quero broto, não quero,
Não quero não,
Não sou garoto
Pra viver mais de ilusão,
Sete dias da semana,
Eu preciso ver,
Minha balzaqueana.

Do deputado Fernando Gabeira ao se decidir pela candidatura ao governo do Rio:
Lá em casa tem um bigorrilho,
Bigorrilho fazia mingau,
Bigorrilho foi quem me ensinou,
A tirar o cavaco do pau,
Trepa Antonio, siri tá pau,Par
Eu também sei tirar,
O cavaco do pau.

Melô do ministro Carlos Minc:
Olha a cabeleira do Zezé
Será que ele é
Será que ele é
Será que ele é bossa nova
Será que ele é Maomé
Parece que é transviado
Mas isso eu não sei se ele é
Corta o cabelo dele!
Corta o cabelo dele!

Melô de Paris Hilton no camarote da Cerveja Devassa:
Chiquita bacana lá da Martinica
Se veste com uma casca de banana nanica
Não usa vestido, não usa calção
Inverno pra ela é pleno verãoPaulo
Existencialista com toda razão
Só faz o que manda o seu coração.

Do  governador de Brasília, em exercício, Paulo Octavio, para a Polícia Federal:
Bandeira branca amor
Não posso mais
Pela saudade que me invade
Eu peço paz
Saudade mal de amor de amor
Saudade dor que dói demais
Vem meu amor
Bandeira branca eu peço paz
 
Ó Abre-Alas, por José Serra
Ó abre alas que eu quero passar
Ó abre alas que eu quero passar
Eu sou da lira não posso negar
Eu sou da lira não posso negar
Ó Abre-Alas por Dilma Rousseff
Ó abre alas que eu quero passar
Ó abre alas que eu quero passar
Rosa de ouro é que vai ganhar
Rosa de ouro é que vai ganhar

Brasileiros nesse verão:
Allah-lá-ô, ô ô ô ô ô ô
Mas que calor, ô ô ô ô ô ô
Atravessamos o deserto do Saara
O sol estava quente
Queimou a nossa cara

Para Cabral cantar na última semana de dezembro:
Ai, ai, ai ai, ai ai ai,está chegando a hora
O dia já vem raiando, meu bem, eu tenho que ir embora

Da candidata Marina Silva:
Ê ê ê ê ê índio quer apito
Se não der pau vai comer
Lá no Bananal mulher de branco
Levou pra índio colar esquisito
Índio viu presente mais bonito
Eu não quer colar
Índio quer apito

Sergio Cabral e Eduardo Paes, de mãos dadas.
SC – Joujoux, joujoux?
EP – Que é meu balagandã?
SC – Aqui estou eu
EP – Aí estás tu
SC – Minha joujoux
EP – Meu balagandã
SC – Nós dois, depois
EP – O sol do amor que manhãs
SC – De braços dados
EP – Dois namorados
SC – Já sei Joujoux
EP – Balagandãs
SC – Seja em Paris
EP – Ou nos Brasis
SC – Mesmo distantesA
EP – Somos constantes
SC – Tudo nos une
EP – Que coisa rara
SC e EP – No amor nada nos separa

Do presidente da Cedae, Wagner Victer:
Lata d’água na cabeça
Lá vai Maria
Lá vai Maria
Sobe o morro e não se cansa
Pela mão leva a criança
Lá vai Maria
De Ancelmo Góes e Wagner Victer:
Branca é branca preta é preta
Mas a mulata é a tal, é a tal!
Branca é branca, preta é preta
Mas a mulata é a tal, é a tal!
Quando ela passa todo mundo grita:
“Eu tô aí nessa marmita!”
Quando ela bole com os seus quadris
Eu bato palmas e peço bis
Ai mulata, cor de canela!
Salve salve salve salve salve ela!

A melô do Chávez:
Daqui não saio
Daqui ninguém me tira
Onde é que eu vou morar
O senhor tem paciência de esperar
Inda mais com quatro filhos
Onde é que vou parar

De deputado Michel Temer para a ministra Dilma Rousseff:
Eu perguntei a um mal-me-quer
Se meu bem ainda me quer
Ela então me respondeu que não
Chorei,
Mas depois eu me lembrei
Que a flor também é uma mulher
Que nunca teve coração…
A flor mulher, iludiu meu coração
Mas, meu amor
É uma flor ainda em botão
O seu olhar
Diz que ela me quer bem
O seu amor
É só meu de mais ninguém,

Do trio ?Os Espertalhões?:  Wilson Carlos, Julio Lopes e Sergio Côrtes:
Mamãe eu quero, mamãe eu quero
Mamãe eu quero mamar!
Dá a chupeta, dá a chupeta, ai, dá a chupeta
Dá a chupeta pro bebê não chorar!

Da subsecretária do Cerimonial do Palácio Guanabara, Adriana Novis, campeã de diárias no exterior:

Maria Candelária
É alta funcionária
Saltou de páraquedas
Caiu na letra “O”, oh, oh, oh, oh
Começa ao meio-dia
Coitada da Maria
Trabalha, trabalha, trabalha de fazer dó oh, oh, oh, oh
A uma vai ao dentista
As duas vai ao café
Às três vai à modista
Às quatro assina o ponto e dá no pé
Que grande vigarista que ela é.

Melô de Sergio Cabral sempre que encontra alguém da área federal:
Ei, você aí!
Me dá um dinheiro aí!
Me dá um dinheiro aí!
Não vai dar?
Não vai dar não?
Você vai ver a grande confusão
Que eu vou fazer bebendo até cair
Me dá me dá me dá, ô!
Me dá um dinheiro aí!

Do governador José Serra. No Carnaval passado, esse marchinha foi cantada pelo ex-governador Arruda:
Nós, nós os carecas
Com as mulheres somos maiorais
Pois na hora do aperto
É dos carecas que elas gostam mais.

Também da dupla Ancelmo Gois e Wagner Victer:
Mulata bossa nova
Caiu no hully gully
E só dá ela
Ê ê ê ê ê ê ê ê
Na passarela
A boneca está
Cheia de fiufiu
Esnobando as louras
E as morenas do Brasil.

Esse samba mais parece um samba-enredo, devido a infinidade de compositores associados a ele.  Mas à frente vai o ministro do Esporte, Orlando Silva:
Lá vem o cordão dos puxa-saco
Dando viva aos seus maiorais
Quem está na frente é passado para trás
E o cordão dos puxa-saco
Cada vez aumenta mais

De boa parte dos moradores do Rio de Janeiro para o presidente da Cedae:
Tomara que chova,
Três dias sem parar,
Tomara que chova,
Três dias sem parar.
A minha grande mágoa,
É lá em casa
Não ter água,
E eu preciso me lavar.

Sergio Cabral, Eduardo Paes e José Gomes Temporão – os três de mãozinhas dadas:
UPA, UPA, UPA,
Cavalinho alazão
ê ê ê
Não faça assim comigo não
Lá vai o meu trolinho
Vai rodando de mansinho
Pela estrada além
Vai levando pro seu ninho
Meu amor, o meu carinho
Que eu não troco por ninguém
UPA, UPA, UPA
Cavalinho alazão…

Marchinha que FHC adorava cantar no exterior:
Yes, nós temos bananas
Bananas pra dar e vender
Banana menina tem vitamina
Banana engorda e faz crescer
Vai para a França o café, pois é
Para o Japão o algodão, pois não
Pro mundo inteiro, homem ou mulher
Bananas para quem quiser.

De Cabral para Madonna:
Garota você é uma gostosura
Foi proibida
Pela censura
Sai de perto de mim
Olhar pra você eu não posso
Me segura que eu vou ter um troço
Me segura que eu vou ter um troço
Me segura que eu vou ter um troço
Me segura que eu vou ter um troço.

Do candidato José Serra para o deputado Fernando Gabeira:
Meu periquitinho verde
Tire a sorte por favor
Eu quero resolver
Este caso de amor
Pois se eu não caso
Neste caso eu vou morrer

Do milionário Eike Batista:
Lá vem o seu China
Na ponta do pé
Lig lig lig lig lig lig lé!
Dez tões, vinte pratos
Banana e café
Lig lig lig lig lig lig lé!
Chinês
Come somente uma vez por mês
Não vai
Mais à Xangai
Buscar a Butterfly
Aqui, com a morena
Fez a sua fé
Lig lig lig lé!

Do ex-governador Garotinho para a secretária Benedita da Silva:
Esta mulher
Há muito tempo me provoca
Dá nela! Dá nela!
É perigosa
Fala mais que pata choca
Dá nela! Dá nela!
Fala, língua de trapo
Pois da tua boca
Eu não escapo
Agora deu para falar abertamente
Dá nela! Dá nela!
É intrigante
Tem veneno e mata a gente
Dá nela! Dá nela!

Da presidente do PSOL, Heloisa Helena, para o deputado Chico Alencar:

Encontrei o meu pedaço na Avenida
De camisa amarela
Cantando a Florisbela, oi, a Florisbela
Convidei-o a voltar pra casa
Em minha companhia
Exibiu-me um sorriso de ironia
Desapareceu no turbilhão da Galeria
Não estava nada bom
O meu pedaço na verdade
Estava bem mamado
Bem chumbado, atravessado
Foi por aí cambaleando
Se acabando num cordão
Com um reco-reco na mão
Mais tarde o encontrei
Num café zurrapa
Do Largo da Lapa
Folião de raça
Bebendo o quinto copo de cachaça
Isto não é chalaça

De Ciro Gomes para Lula:
Eu não sou água,
Pra me tratares assim,
Só na hora da sede,
É que procuras por mim,
A fonte secou,
Quero dizer que entre nós,
Tudo acabou.
Seu egoísmo me libertou,
Não deves mais me procurar,
A fonte do nosso amor secou,
Mas os seus olhos,
Nunca mais hão de secar.

Do senador Tião Viana para José Sarney, Renan Calheiros, Jader Barbalho, etc, etc, etc
A coroa do Rei,
Não é de ouro nem de prata,
Eu também já usei,
E sei que ela é de lata.
Não é ouro nem nunca foi,
A coroa que o Rei usou,
É de lata barata,
E olhe lá… borocochô
Na cabeça do Rei andou,
E na minha andou também,
É por isso que eu digo,
Que não vale um vintém.

Para Sergio Cabral cantar em breve para Jorge Picciani. Ou vice-versa:
Você partiu,
Saudades me deixou,
Eu chorei,
O nosso amor, foi uma chama,
O sopro do passado desfaz,
Agora é cinza,
Tudo acabado e nada mais!
Você,
Partiu de madrugada,
E não me disse nada,
Isso não se faz,
Me deixou cheio de saudade,
E paixão,
Não me conformo,
Com a sua ingratidão.

Criação coletiva começando com o ex-ministro José Dirceu:
Agora vou mudar minha conduta
Eu vou pra luta
Pois eu quero me aprumar
Vou tratar você com força bruta
Pra poder me reabilitar
Pois esta vida não está sopa
E eu pergunto com que roupa?
Com que roupa que eu vou?
Pro samba que você me convidou
Com que roupa eu vou?
Pro samba que você me convidou

Prossegue com o ex-governador José Roberto Arruda:
Agora eu não ando mais fagueiro
Pois o dinheiro
Não é fácil de ganhar
Mesmo eu sendo um cabra trapaceiro
Não consigo ter nem pra gastar
Eu já corri de vento em popa
Mas agora com que roupa?
Com que roupa que eu vou?
Pro samba que você me convidou
Com que roupa eu vou?
Pro samba que você me convidou

Finaliza com o prefeito Lindberg Farias, o Lindinho:
Eu hoje estou pulando como sapo
Pra ver se escapo
Desta praga de urubu
Já estou coberto de farrapo
Eu vou acabar ficando nu
Meu paletó virou estopa
Eu nem sei mais com que roupa?
Com que roupa que eu vou?
Pro samba que você me convidou
Com que roupa eu vou?
Pro samba que você me convidou

De Sergio Cabral para Madonna:
Lourinha, lourinha
Dos olhos claros de cristal
Desta vez em vez da moreninha
Serás a rainha do meu carnaval
Loura boneca
Que vens de outra terra
Que vens da Inglaterra
Ou que vens de Paris
Quero te dar
O meu amor mais quente
Do que o sol ardente
Deste meu país

Melô do xerife Rodrigo Betlhem, do Choque de Ordem:
Vém cá “seu” guarda
Bota pra fora esse moço
Que está no salão brincando
Com pó-de-mico no bolso.
Foi ele, foi ele sim,
Foi ele que jogo o pó em mim.

Do ex-prefeito Cesar Maia:
Tristeza
Por favor vai embora
A minha alma que chora
Está vendo o meu fim
Fez do meu coração
A sua moradia
Já é demais o meu penar
Quero voltar aquela
Vida de alegria
Quero de novo cantar
la ra rara, la ra rara
la ra rara, rara
Quero de novo cantar

Marchinha que Michel Temer adoraria cantar para Henrique Meirelles:
Oh jardineira
Porque estás tão triste
Mas o que foi que te aconteceu?
Foi a camélia
Que caiu do galho
Deu dois suspiros
E depois morreu
Vem jardineira
Vem meu amor
Não fique triste
Que este mundo é todo teu
Tu és muito mais bonita
Que a camélia que morreu.

Da ex… deixa pra lá:
Maria Sapatão
Sapatão, Sapatão
De dia é Maria
De noite é João

A melô do blog:
Quem é você que não sabe o que diz
Meu Deus do céu, que palpite infeliz…

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 2:04

Zona Franca do Ancelmo

A melhor notícia do dia está hoje na coluna do Ancelmo Gois:
.”Até ontem Lula não havia confirmado sua ida a Sapucaí”.
Tomara que se confirme a sua informação.
Como esse blog já disse, há dias, não é possível expor o Presidente a um show de vaias.
O curioso é o título da nota: “Tempo de eleição”.
O que confirma esse temor.
. Além das vaias, Lula se livra da convivência com Jorge Picciani, Paulo Mello e a turma de Cabral.
. Aliás, com Lula e Madonna no mesmo camarote, a quem Cabral daria mais atenção?
. E a conversa que Cabral teria com Lula, durante o Carnaval, sobre o encontro de Dilma com Garotinho? O fanfarrão quis aproveitar sua viagem, sábado à Brasília, para tirar uma casquinha do Presidente, que não o recebeu. Disse que conversaria com o governador durante o  Carnaval.
Pelo jeito, o encontro ficou para a Quaresma.
. E as Mulatas do Gois, hein? Quem diria? São pura energia. E todas elas movidas a água.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 1:57

O fanfarrão é um trapalhão

Sergio Cabral ao anunciar, em Londres, a cessão do Palácio Gustavo Capanema para as Olimpíadas de 2016, não atropelou apenas o Prefeito Eduardo Paes, o ministro Orlando Silva, e mais o presidente do COB, Carlos Nuzman. Ele fez outra vítima, segundo informa Ancelmo Góis: o próprio usuário do prédio, o ministro da Educação, Fernando Haddad “soube pelos jornais” que o palácio “abrigará o comitêd organizador dos Jogos de 2016 e a Autoridade Pública Olímpica”.
Cabral além de fanfarrão é trapalhão. E sem educação.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 1:45

Cabral critica Dilma Rousseff

 Para quem duvida que foi Sergio Cabral quem ironizou “o carisma da nossa candidata”, a ministra Dilma Rousseff, durante solenidade de compromisso dos governadores com a Copa do Mundo, vamos aos fatos:
1. A nota de Ancelmo Góes, publicada no dia 15, diz que “a apatia de Dilma na reunião levou um conhecido governador do PMDB, sarcástico, a comentar no ouvido de um colega do PT:
- Olha só carisma da nossa candidata”.
2. Compareceram à reunião os 12 governadores dos Estados-sedes da Copa. É verdade que três deles são do PMDB, embora o mais conhecido seja Sergio Cabral. Os outros dois são Eduardo Braga, do Amazonas; e Roberto Requião, do Paraná.
3. Mas do PT, só havia um: o governador Jacques Wagner, da Bahia.
4. No dia 14, ‘O Globo’ publicou uma reportagem que mostrava o isolamento de José Roberto Arruda na reunião. E lá foi dito que Jacques Wagner sentou-se entre Cabral e Arruda. E ainda brinca com o governador baiano: “Sobrou para ele…”
5. Se a piada, de gosto duvidoso, contra a ministra, foi feita para um governador do PT, o único que poderia ter ouvido era Jacques Wagner. E seu autor, do PMDB, só poderia ter sido seu companheiro do lado, o governador Sergio Cabral.
6. Para facilitar as coisas, a reportagem minuciosa de Isabel Braga e Luiza Damé, diz o seguinte:
“Entre um discurso e outro, os governadores trocavam pequenas confidências. Serra conversou com o colega tucano, o governador de Minas, Aécio Neves, e com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos. Cabral puxou conversa com Jacques Wagner…”
Isso é como batom na cueca.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 1:45

Cabral critica Dilma Rousseff

 No último dia 15, sexta-feira passada, Ancelmo Góes publicou três notas referente a reunião de Lula, Dilma Rousseff e Ricardo Teixeira com os governadores que comandam os Estados-sedes da Copa do Mundo de 2014.
Todas as notas ridicularizavam a candidata do PT.
Na terceira, Ancelmo revelou:
“A apatia de Dilma na reunião levou um conhecido governador do PMDB, sarcástico, a comentar no ouvido de um colega do PT:
? Olha só o carisma da nossa candidata”.
O ataque a Dilma foi feito pelo governador Sergio Cabral, e quem ouviu a crítica foi o baiano Jacques Wagner.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 1:41

Metrô para a Barra é sonho

De um especialista em transportes e concessões:
- O pobre do Ancelmo Góes, morador da Barra da Tijuca, pode abandonar o sonho de ir para casa, todos os dias, de Metrô. Ou alguém, de sã consciência, acredita que esse grupo de incompetentes e/ou espertalhões será capaz de levar o Metrô até a Barra, se eles não conseguem nem ao menos integrar as duas únicas linhas do sistema? Se esse pessoal insistir na obra é porque terá algo muito estranho – para dizer o mínimo – por trás do projeto. E certamente não serão as Olimpíadas de 2016.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 1:06

As aparências enganam

Está hoje no Ancelmo Góes:
?Madame do MST. Domingo, uma mulher na piscina do Golden Green, o condomínio dos magnatas da Barra, no Rio, usava um boné do … MST?.
MST não é necessariamente o Movimento dos Sem Terra.
Aqui no Brasil, também é Medicina e Segurança do Trabalho.
Em Londres, existe o MST College.
E o mais provável.
O boné que a madame usava é da Missouri University of Science and Technology.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 1:00

Fernando Henrique fala sózinho

Diz o colunista Ancelmo Góes:
?A caixa de e-mail do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso amanheceu ontem lotada quando ele chegou do feriado na fazenda de amigos.
Todos de gente cumprimentando-o pelo artigo de domingo, em que atacava o ?subperonismo lulista? em gestação no país.
Não se sabe se entre os remetentes estava o governador José Serra, mas ele foi visto elogiando o duro artigo para amigos.
É o máximo de oposicionismo que Serra se permite… agora?
Pergunta-se: e quem faz oposição a Lula? Aécio Neves?

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 0:58

Aécio Neves

 

A foto está no site do IG e foi feita nesse sábado

A foto está no site do IG e foi feita nesse sábado

Ancelmo Góes publica hoje, em ‘O Globo’, uma foto do governador de Minas e a legenda: ”Aécio Neves e a namorada Letícia Weber curtem final de semana na praia de Jurerê, em Florianópolis”.
Na ‘Folha’, Fernando de Barros e Siva escreve um artigo intitulado “As razões de Aécio”, no qual ele explica porque o governador de Minas não aceita ser vice de Serra, e porque insiste que o candidato tucano à Presidência seja anunciado até dezembro. Em certo trecho ele diz que “o excesso de aventuras na vida pessoal talvez seja seu ponto fraco numa disputa tão dura”.

  • Terça-feira, 13 Julho 2010 / 0:53

O poeta e as 28 geladeiras

Ancelmo Góes informa hoje que o poeta Thiago de Mello, de 83 anos, casou-se com uma moça chamada Poliana, que tem pouco mais de 30 anos.
O curioso é que esse é o 28º casamento do poeta.
É preciso muita bala.
Já pensaram o que é comprar, no mínimo, 28 geladeiras?

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.