A calamidade é o próprio

     Da coluna da jornalista Berenice Seara, no Extra:
      “O governador Sérgio Cabral publicou, no Diário Oficial de 26 de agosto, a prorrogação do estado de calamidade pública nos municípios atingidos pelas chuvas de janeiro. No pé do decreto, um detalhe curioso: a medida é retroativa a 13 de julho. Um cricri de plantão foi vasculhar o DO de 13 de julho e achou vários contratos para empresas continuarem obras emergenciais. Entre elas, a já famosa Delta Engenharia — com um contrato de R$ 37 milhões.  Diz a Lei de Licitações que obras emergenciais têm que ser concluídas em seis meses. Do contrário, não são emergenciais e precisam ser devidamente licitadas”.