A hora e vez de Miriam Belchior

    Em 2004, o então ministro José Dirceu perdeu a articulação política do governo para Aldo Rabelo. No ano seguinte, perde o próprio cargo de ministro.
Na época, falava-se em Aloísio Mercadante ou Jorge Vianna para a Casa Civil.
Se Lula preferisse alguém de perfil puramente técnico, a candidata natural seria a assessora especial Miriam Belchior.
Ela já fazia o papel de centralizar o gerenciamento do governo, já que Dirceu continuava desempenhando missões políticas, e presidia diversas câmaras de trabalho do Planalto.
A nomeada acabou sendo Dilma Rousseff.
Agora chegou a vez de Miriam.