Tasso oficializa o não a Serra

?O Globo? de hoje confirma o que esse blog publicou dia 1º: Tasso Jereisatti não aceitou o convite para ser vice de José Serra. O que o senador não diz, é que ele não pode tentar ajudar Serra a ser presidente, pois seu principal aliado chama-se Ciro Gomes ? o mesmo que ocorre com Aécio Neves.
Eis a reportagem assinada por Isabela Martin:
? Lembrado como alternativa para a vaga de vice na chapa encabeçada pelo também tucano José Serra na disputa pela Presidência da República, o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) afirmou ontem não estar convencido de que é boa a estratégia do governador de São Paulo de adiar ainda mais o anúncio de sua candidatura e que seu nome ?não está à disposição? do partido.
Para Tasso, não bastou a declaração pública de Serra da semana passada dizendo nunca ter abandonado a ideia de ser candidato e cobrou que o governador de São Paulo ?caia na vida?. Numa referência indireta ao ritmo acelerado da ministrachefe da Casa Civil e pré-candidata do PT, Dilma Rousseff, o senador afirmou que o atraso na campanha do PSDB na corrida pelo Palácio do Planalto é mais grave do que perder um bonde.
? O nosso trem está atrasado, disse ele. ? Quando falo em ser candidato, é cair na rua, cair na vida. Articular, fazer visitas, chamar os estados, dar entrevistas e garantir na imprensa o mesmo espaço dado ao adversário.
Fugindo ao estilo cauteloso ?até pelas divergências passadas que deixaram marcas na relação com Serra, quando apoiou Ciro Gomes para presidente da República em 2002 ?, Tasso elevou o tom das críticas.
Atribuiu a estratégia de Serra de adiar para abril o anúncio de sua candidatura ?aos amigos dele?: ? É uma estratégia que ninguém está entendendo. Acho isso uma loucura, sem sentido.
Para o senador, ainda há tempo para definir vice Sobre a especulação em torno do seu nome para compor como vice numa eventual chapa puro-sangue, Tasso disse que a hora dessa discussão ainda não chegou.
? Primeiro a gente tem que ter um candidato na rua. O vice, tem tempo (para encontrar).
A gente não tem mais tempo é de ficar sem candidato ? afirmou o tucano.
O boato em torno de seu nome ganhou ênfase há cerca de dez dias quando pesquisa Datafolha mostrou que a diferença entre Serra e Dilma caiu para quatro pontos percentuais.
Tasso silenciou por mais de uma semana sobre o assunto.
Nesse meio tempo, irritou os adversários do PT com o projeto de lei de sua autoria aprovado na Comissão de Educação do Senado que cria um benefício adicional ao Bolsa Família para os alunos que tiverem bom desempenho escolar.
Na última sexta-feira, em Sobral, município da região norte do Ceará, terra natal do presidenciável Ciro Gomes (PSB), ele tocou no tema vice publicamente pela primeira vez. E foi enfático ao responder se seu nome estava à disposição do partido.
? Não. Meu nome não está à disposição, não. Hoje eu estou aqui no Ceará dedicado a fortalecer o meu partido ? afirmou.
Tasso afirma que seu plano é continuar senador Já ontem, Tasso afirmou que seu plano é continuar senador.
Sobre a possibilidade de aceitar a vaga de vice caso Serra saia candidato, disse que não era ?turrão? e encerrou a entrevista.
Em Sobral, onde foi receber uma comenda da Universidade Federal do Ceará, Tasso chegou ao local da solenidade de carona num carro dirigido pelo governador Cid Gomes (PSB), irmão de Ciro, e aliado do PT. A cena dos dois ? que trocaram elogios mútuos durante entrevista ? reacendeu o temor de petistas de que a aliança entre Tasso e os Ferreira Gomes seja reeditada em nível estadual.
No plano nacional, o senador tem reafirmado que mesmo que Ciro seja candidato, Serra terá apoio incondicional do PSDB no Ceará?.
Só mais um detalhe que faltou a reportagem: Tasso é candidato à reeleição e, para isso, conta com o apoio do governador do Estado, Cid Gomes, irmão de Ciro.